23/06/2012


Em meio à descrença, times de BH iniciam bem Brasileiro;
torcedores vão do receio ao sonho da reconquista nacional

Vinícius Dias

O Cruzeiro é vice-líder, o Atlético ocupa a terceira posição. Nem mesmo o mais otimista dos torcedores mineiros previu que os times da capital, que lutaram contra o rebaixamento em 2011, se destacariam logo no primeiro mês de Campeonato Brasileiro. Contudo, após dez partidas e apenas uma derrota, eles alteraram os planos, contas, e já vislumbram a conquista do título nacional.

Antes pessimista, o jornalista e torcedor cruzeirense, Leonardo Bastos, de 34 anos, crê na possibilidade da equipe voltar a conquistar o título brasileiro. No entanto, realça a necessidade de reforços. "Acho que o clube acertou na contratação do treinador Celso Roth. Acredito que, com duas ou três contratações, principalmente para a lateral e o ataque, o time tenha reais chances de brigar no topo da tabela", afirma.

Para Bastos, a volta à capital será decisiva na boa campanha da Raposa. "O retorno para BH é fundamental e importantíssimo para que o Cruzeiro tenha um Campeonato Brasileiro mais tranquilo", diz. Ele aproveita para convocar os cruzeirenses. "Agora, é contar com o apoio da China Azul para que o novo Independência se torne de vez o caldeirão da Raposa", encerra.

O goleiro e capitão Fábio, que até o momento sofreu apenas dois gols, é apontado por Leonardo como a principal esperança do clube azul celeste. "Tranquilo, líder, profissional e, acima de tudo, excelente naquilo que faz: defender o gol celeste", observa.

CRAQUE - O Atlético é o time de Ronaldinho Gaúcho. Após rescindir com o Flamengo, de forma conturbada, o camisa 10 - agora 49 - acertou com o alvinegro e assumiu o posto de referência dos torcedores. É o que revela Victor Nassif, de 26 anos. "Ronaldinho Gaúcho, com 32 anos, ainda sim é melhor que todos os outros do atual elenco. A presença dele no grupo só tem a somar para a garotada", analisa.

Agora, o meia veste a 49 do Galo
(Créditos: Bruno Cantini/Atlético-MG)

O professor, que vê a relação entre o Atlético e torcedores como parceria indiscutível, destaca a importância de realizar os jogos na capital mineira. "Voltar a BH era tudo o que o Galo precisava para voltar a brigar na ponta da tabela", conta. "Em casa, com o apoio da massa esse resultado já vem aparecendo", destaca.

Insatisfeito com os resultados alcançados nas duas últimas temporadas e com a ausência de conquistas de expressão, Nassif acredita no êxito em 2012. "A expectativa é enorme, pois o investimento feito no atual elenco é muito grande", destaca. "Com esse elenco forte, dá para brigar na ponta", acrescenta.

O centenário da redenção

Vice-campeão estadual, o América, que comemorou seu centenário no dia 30 de abril, traça metas para retornar à divisão de elite do Brasileiro em 2013. Rebaixado após má campanha na temporada 2011, o time ocupa a vice-liderança da Série B, com cerca de 76% de aproveitamento e cinco vitórias em sete jogos.

Satisfeito com a evolução do clube a partir de 2009, o contador Glauco do Carmo Xavier, de 35 anos, crê no sucesso em 2012. "Tenho uma expectativa otimista pela participação do América nesta edição do brasileiro. Confio na possibilidade de conseguirmos o acesso e de disputar o título", conta.

O torcedor, que vislumbra no Independência a oportunidade de redenção financeira do Coelho, dimensiona a importância do retorno ao estádio. "O Independência é a casa do América e do americano", afirma, com ênfase. "Seus jogadores e torcedores se identificam com o estádio e se sentem muito bem lá", completa. 

Glauco destaca o fato de o time americano contar com atletas eficientes, experientes e comprometidos. Ele acredita que Rodriguinho será o destaque na Série B. "Excelente jogador, que preenche uma função importante em que o América ficou carente durante muitos anos", analisa.

3 comentários:

  1. Três análises muito sensatas e sem exageros dos participantes. Concordo com todas, especialmente com a do Leonardo, cruzeirense como eu. Saímos de "o pior Cruzeiro dos últimos anos" para "quem sabe não brigamos por cima?". Forte abraço.

    ResponderExcluir
  2. Concordo demais com o Nassif e só acrescento a necessidade de mais contratações, como um goleiro e um lateral direito. Mas a esperança de título não morreu, pelo contrário: continua cada vez mais forte no coração atleticano.
    Parabéns pela matéria! Saudações atleticanas :*

    ResponderExcluir
  3. Acredito que com esse time que temos aí, vamos ficar no meio da tabela, talvez uma libertadores... mas com mais 2 ou 3 contratações, é briga por título.. temos um time mto bom, mas sem AQUELE matador.. e nossas laterais deixam a desejar também... mas quem sabe... VAMO Q VAMO CRUZEIRÃÃÃÃÃÃOOOOOOOO......

    ResponderExcluir