11/02/2014

Na estrada rumo ao tri

Tiago de Melo

Campeão brasileiro, plantel forte e com moral elevado. Tudo parece indicar que o Cruzeiro é dos principais candidatos ao título da Libertadores. E há ainda mais uma boa notícia: os comandados de Marcelo Oliveira têm pela frente um grupo bastante acessível no torneio.


O rival mais perigoso para o Cruzeiro nessa fase de grupos deve ser a Universidad de Chile. Mas que não se espere a equipe que obteve ótimos resultados em 2011, sob o comando de Jorge Sampaoli. Apesar de haver remanescentes daquele plantel - como o goleiro Herrera, o capitão Pepe Rojas e o bom meia argentino Lorenzetti -, o rival da Raposa será bem diferente do campeão da Sul-Americana de 2011.

Lorenzetti: 'sonho' antigo será rival
(Créditos: Universidad de Chile/Divulgação)

Na verdade, aquela equipe terminou por se desmanchar. A começar pelo treinador, recrutado pela seleção chilena. La U sentiu o golpe, e não vem obtendo bons resultados nem em âmbito doméstico. Terminou o último Campeonato Chileno no quarto lugar, 12 pontos atrás do O'Higgins, que conquistou o título, e da Universidad Católica.

Aposta em reforços

No entanto, apesar de não viver o melhor momento, a equipe chilena deve ser tratada com cuidado. Além de contar com remanescentes da equipe vencedora de 2011, o clube contratou Matias Caruzzo, zagueiro do Boca Juniors, e o atacante uruguaio Rodrigo Mora, que estava no River Plate e vem se destacando nas primeiras partidas.

Equipe uruguaia tenta surpreender
(Créditos: Defensor Sporting/Divulgação)

Já o Defensor deve oferecer menos perigo. A equipe está na Libertadores por ter sido vice-campeã uruguaia na temporada 2012/2013. Mas, de lá para cá, os violetas caíram muito, e terminaram o Apertura 2013 em um medíocre 12º lugar entre 16 equipes, com apenas 16 pontos somados - metade da pontuação do campeão Danúbio.

A volta de Regueiro...

Tradicional formador de jogadores, o Defensor conta com jovens muito promissores, mas ainda não prontos, como De Arrascaeta. Fez algumas contratações, como o lateral Pintos, o meia Correa e o excelente atacante Regueiro, repatriado do Racing, da Argentina. São as armas do time do Parque Rodó para tentar uma boa campanha.

Peruanos foram sensação em 2013
(Créditos: Conmebol.com/Divulgação)

Completando a chave, o Real Garcilaso, clube que chamou atenção por ter disputado a Libertadores de 2013, quatro anos após sua fundação - um fato inédito - e ter chegado às quartas de final. Mas há algo de ilusório nisso: a jovem equipe chegou ao maior torneio sul-americano muito em função da enorme crise que assolava o futebol peruano.

Pela 'replay' de 2013

E o Real avançou na Libertadores depois de passar por um grupo muito fraco e se beneficiar da péssima fase do Nacional, do Uruguai, clube que eliminou na fase oitavas de final. Ao menos a princípio, apesar de contar com a altitude, o Real Garcilaso é o candidato mais forte à lanterna desta chave do torneio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário