25/10/2014


Aécio Neves prevê esporte como "instrumento educacional",
Dilma destaca Copa e prioriza o esporte de alto rendimento

Vinícius Dias

Além de indicar o novo presidente do país, as eleições deste domingo, dia 26, vão delinear os caminhos do esporte brasileiro pelos próximos quatro anos. Embora o assunto tenha passado quase despercebido nos debates, Aécio Neves, do PSDB, e Dilma Rousseff, PT, têm projetos complexos e distintos para o setor. A começar pela estrutura do Ministério do Esporte, com a provável saída de Aldo Rebelo, do PC do B, titular da pasta desde outubro de 2011.


Apoiado por esportistas como Neymar, Giovane, ex-atleta de vôlei que foi candidato a deputado federal por Minas Gerais, Dadá Maravilha, Romário, Anderson Silva, Ronaldo e Fábio, do Cruzeiro, o candidato Aécio trata do tema ao longo das páginas 18 e 19 de seu plano de governo. O esporte, associado ao tópico cidadania, é tratado "como instrumento da formação educacional e da integração social".

Aécio, do PSDB, cercado por esportistas
(Créditos: Igo Estrela/Divulgação/Aécio Neves)

Nas diretrizes gerais do presidenciável da coligação "Muda Brasil" também estão previstos incentivos ao esporte escolar e à educação física, além de fomento à formação de atletas, especialmente por meio da ampliação dos mecanismos de incentivo, e integração entre políticas públicas de esporte, educação e saúde.

Foco nas Olimpíadas

Sustentando o êxito da Copa do Mundo de 2014 extracampo, o plano de governo de Dilma Rousseff, candidata à reeleição, aborda o tema entre as páginas 37 e 39, associando-o ao tópico cultura. A presidenciável petista, que exalta os investimentos feitos no setor nos últimos 12 anos, planeja aprofundar os programas já existentes e, de forma paralela, desenvolver novos projetos esportivos.

Dilma recebe atletas do Bom Senso FC
(Créditos: Valter Campanato/Agência Brasil)

Dilma, no entanto, prioriza o esporte de alto rendimento. Com a proposta de que o país conclua os Jogos Olímpicos de 2016 entre os dez primeiros colocados, a petista coloca a organização do evento como "maior desafio" para os próximos anos.

Estrutura do Ministério

A proximidade das eleições acirra também o debate sobre possíveis nomes para a chefia do Ministério do Esporte. Em caso de vitória de Aécio Neves, por exemplo, são cotados três nomes: dois ex-atletas e um ex-dirigente esportivo. Caso Dilma seja reeleita, o cargo deve seguir com o PC do B, à frente da pasta desde 2003.

Nenhum comentário:

Postar um comentário