16/02/2015

Entrosamento: a arma alvinegra

Vinícius Dias

Um dos menos ativos no atual mercado, o Atlético anunciou apenas três reforços para esta temporada. No entanto, quando o técnico Levir Culpi tiver todo o elenco à disposição, duas das caras novas devem figurar no time titular. Antes de se lesionar, o atacante argentino Lucas Pratto vinha ocupando a vaga de Diego Tardelli, principal baixa do elenco alvinegro. O meia-atacante colombiano Sherman Cárdenas deve ser titular na terceira linha do 4-2-3-1 atleticano.

Dátolo: armador no 4-2-3-1 do Atlético
(Arte: Douglas Vogel Zimmer/Blog Toque Di Letra)

O quarteto defensivo ideal é o mesmo que terminou a temporada passada como titular. Com boa saída de bola e vigor físico, Rafael Carioca ocupa a segunda linha ao lado de Leandro Donizete. À frente, Luan, Cárdenas e Dátolo devem trabalhar para 'municiar' Lucas Pratto - na teoria, o único atacante. Com Luan assegurado na ponta direita, os dois gringos devem flutuar na terceira linha, mas a tendência é de que Dátolo seja o armador principal, mais centralizado.

Alternativa: 4-1-4-1 é plano B de Levir
(Arte: Douglas Vogel Zimmer/Blog Toque Di Letra)

A exemplo dos duelos contra Corinthians e Flamengo, na caminhada rumo ao inédito título da Copa do Brasil, Levir Culpi vai guardar na manga uma arma importante: o agressivo 4-1-4-1. No esquema alternativo, Leandro Donizete disputaria com Rafael Carioca a condição de volante. A terceira linha, com quatro jogadores, teria Cárdenas e Dátolo - ora volante, ora armador - fazendo a transição entre o meio e o ataque. Luan e Carlos, como pontas, se aproximam de Pratto.

Sem Tardelli, com Pratto

Sem grandes 'inovações', o Atlético aposta justamente no entrosamento para, mais uma vez, ser protagonista. A equipe tende a sentir falta da movimentação de Diego Tardelli, mas pode se beneficiar da ótima fase do argentino Pratto, o novo dono da 9 alvinegra. A torcida já tem seu grito predileto: eu acredito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário