17/04/2015


Nascido em Volta Redonda, Emerson superou barreiras para
cultivar paixão pela Raposa, que hoje se mistura à profissão

Vinícius Dias

Os traços firmes capazes de unir em um painel histórico craques das mais diversas gerações, como Sorín, Tostão, Dirceu Lopes, Fábio, Alex e Raul Plassmann, estão estampados nos centros de treinamento da Raposa, na sede administrativa e também no Mineirão. As artes de Emerson Carvalho de Souza, mais conhecido como Camaleão, são sucesso absoluto entre a China Azul. Há 12 anos, a vida profissional do desenhista caminha lado a lado com a paixão pelo Cruzeiro.


Premiado no segmento artístico pelos trabalhos com caricaturas, histórias em quadrinhos, animações e ilustrações dos mais diversos tipos, o artista revela que o futebol entrou em sua rotina produtiva por meio do clube do coração. "Tenho muito prazer em contribuir para a divulgação do Cruzeiro por meio da minha arte", acrescenta.

Painel foi atualizado após o tetra nacional
(Créditos: Camaleão Caricaturas/Arquivo Pessoal)

Um dos trabalhos mais reconhecidos de Camaleão é o 'painel do tetra'. A arte consiste, na prática, na atualização de um trabalho anterior, que fora elaborado antes de o clube alcançar os títulos brasileiros de 2013 e 2014. Na nova versão, finalizada em dezembro último, foram incluídos o goleiro Fábio e os troféus do tri e do tetra. "Fiquei muito feliz pela repercussão, mas te confesso que já imaginava que iria fazer sucesso, afinal lá só tem craques", diz o desenhista.

Obstáculos superados

Natural de Volta Redonda, na Região Sul do Rio de Janeiro, Emerson teve de enfrentar a distância, a escassa cobertura sobre o futebol mineiro nos jornais e a maioria atleticana da família para torcer pelo Cruzeiro. "Um dia, ainda menino, um tio chegou com camisas (do Atlético) para mim e meus irmãos. Quando recebi, disse que não queria aquela e, para não precisar vestir, saí para rua", recorda. "Meses depois, vim de férias para Minas. Em uma festa, o único cruzeirense da família na época me presenteou com o manto azul. Felicidade total", acrescenta.

Camaleão ao lado de Éverton Ribeiro
(Créditos: Emerson Souza/Arquivo Pessoal)

O desenhista inauguraria, anos depois, a relação profissional com o clube. Os primeiros trabalhos, produzidos em 2003, foram caricaturas de ídolos históricos. "Depois a coisa deu uma esfriada. (Porém) quando o Marcone (Barbosa) assumiu o marketing, ele me ligou convidando para fazermos alguns trabalhos", observa. Desde então, além dos tradicionais painéis, Camaleão assinou ilustrações para a revista do clube, materiais infantis distribuídos em visitas do Raposão e imagens para o hall de entrada do marketing, na sede.

Mercado cruzeirense

O sucesso e a boa aceitação das artes entre os torcedores cruzeirenses valeram a abertura de um novo mercado para o artista de 44 anos, que atualmente reside em Belo Horizonte. "O que acontece muito são pessoas apaixonadas pelo Cruzeiro me encomendarem caricaturas que envolvam a paixão delas pelo clube", afirma.

Decoração em evento oficial do clube
(Créditos: Emerson Souza/Arquivo Pessoal)

Quando o assunto é o painel oficial, ele convive com perguntas sobre as ausências de lendários como Dida e Marcelo Ramos. "O critério foi colocar aqueles que levantaram taças. Depois foi definido que atletas com mais de 300 partidas pelo Cruzeiro também entrariam", justifica, revelando que já prepara um novo painel. "Em breve dou notícias. Ninguém será esquecido (risos)", afirma, com a certeza de que novas conquistas significarão mais alegrias e mais trabalho.

Um comentário:

  1. Muito talento.. Tive oportunidade de ver o painel no camarote(1° foto) e esse desenho em lona que é utilizado em eventos no Mineirão (2° foto).. Merece todos os créditos pelos belos trabalhos..

    ResponderExcluir