18/08/2016

Hora de prestigiar a base celeste

Douglas Zimmer*

Salve, China Azul!

Na última segunda-feira, o torcedor cruzeirense recebeu uma notícia que não faz parte de seu cotidiano: terá de ficar sem o capitão do time e ídolo do clube por, pelo menos, oito meses. Fábio rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito em disputa de bola no duelo contra o Coritiba e não jogará mais pelo Cruzeiro em 2016. O torcedor, automaticamente, se pergunta: e agora?


Após essa inesperada baixa do titularíssimo camisa 1, o torcedor celeste começa inevitavelmente a se questionar sobre quem irá substituí-lo nesse longo período. Será que a reposição está entre os goleiros formados nos gramados da Toca I e que estão, hoje, no elenco comandado pelo técnico Mano Menezes? Ou a diretoria precisa ir ao mercado urgentemente e filtrar as poucas opções que ainda sobram e, assim, contratar um novo goleiro? Vejamos os cenários.

Fábio: desfalque por oito meses
(Créditos: Pedro Vilela/Light Press)

Como substitutos imediatos, por ora, temos Rafael, que se recupera de lesão recente em dedo da mão direita; Elisson, que acaba de retornar de empréstimo ao Coritiba; e Lucas França, que foi titular na partida com o Corinthians, quando Fábio estava suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Em comum aos três, o fato de serem crias da base estrelada. Lucas, pelo menos nesse primeiro momento, aparece como candidato mais provável a segurar o rojão, embora seja, aos 20 anos, menos experiente do que os seus concorrentes.

Primeira opção de Mano

Na estreia, em pleno Pacaembu, o garoto não teve culpa no gol marcado pelo Corinthians logo no começo do jogo e conseguiu vencer a ansiedade com o passar do tempo. Quase cometeu uma falha terrível em um chute despretensioso, contudo conseguiu se recuperar a tempo de evitar o gol adversário. Não fosse a situação delicadíssima da equipe no Campeonato Brasileiro, eu cravaria com toda a certeza que o momento seria ideal para dar cancha ao garoto.

Lucas França estreou no Pacaembu
(Créditos: Marcello Zambrana/Light Press)

Quanto aos demais goleiros, penso que, mesmo sendo mais experientes, sofrem do mesmo problema que Lucas: a natural falta de ritmo de jogo. Quando se é reserva de um mito como é Fábio, é bem normal ficar muito tempo só treinando. E é nessa hora que o atleta deve estar pronto para assumir a bronca e colocar em prática tudo o que treinou.

Alternativas no mercado

Se a diretoria resolver ir ao mercado, coisa que creio que não ocorrerá, as alternativas são escassas. Entre as principais opções, hoje, estão Helton, recém-saído do Porto, de Portugal; Paulo Victor, do Flamengo; Renan, do Goiás; e Walter, do Corinthians. Qualquer um dos quatro, a meu ver, não traz a carga de confiança necessária para chegar e assumir a titularidade. Além disso, à exceção de Renan, que nunca foi um goleiro extraordinário, os demais não têm atuado com a frequência ideal e teriam que adquirir o ritmo em pouco tempo.

De volta, Elisson é opção para Mano
(Créditos: Coritiba F.C./Divulgação)

Na minha opinião, a menos que a diretoria veja um nome incontestável no mercado, é hora de Mano conversar com os garotos e, em primeiro lugar, passar tranquilidade para eles. Ao mesmo tempo, consertar a equipe, em especial o setor defensivo, para que quem venha a entrar no time tenha mais segurança. Como já afirmei, o principal problema não é só substituir um monstro como Fábio, mas também entrar no time na situação em que ele se encontra.

E você, caro leitor? Qual é a sua opinião?

*Gaúcho, apaixonado pelo Cruzeiro desde junho de 1986.
@pqnofx, dono da camisa 10 da seção Fala, Cruzeirense!

5 comentários:

  1. É muito difícil substituir o grande Fábio, mas com os salários nas alturas devemos acreditar nos profissionais do clube, como temos um grande treinador de goleiros o Robertinho, acredito nele e coloque os nossos goleiros para defender o nosso glorioso.

    ResponderExcluir
  2. Acho que mesmo vindo de recuperação, a titularidade é do Rafael. Tem mais rodagem que os outros, tanto no Maior de Minas quanto na seleção de base (enquanto jogou na base).
    SE, e apenas SE, o Cruzeiro for ao mercado, dos nomes citados o que mais me agrada é o do Paulo Victor, do Flamengo. É muito bom goleiro.
    Mas, olhando para as nossas opções, Paulo Victor está mais ou menos no mesmo nível técnico do Rafael.

    ResponderExcluir
  3. O Goleiro tem que ser o RAFAEL, sem duvida nem uma. ótimo goleiro e esperou por anos a chance dele. Lucas França é a terceira opção. Elisson é melhor que ele.

    ResponderExcluir
  4. Nossos goleiros da base vivem sendo convocados paras as seleções de base. Isso não conta?
    Pra que então manter esse atletas na Toca I. Melhor então seria, quando necessitar, vá ao mercado. Injustificável conjecturar a vinda de outro goleiro. Óbvio, com exceção de um excepcional, mas... qual deles estaria disponível???

    ResponderExcluir
  5. RAFAEL JOGA MUITO TANTO COM AS MÃOS QUANTO COM OS PÉS (COISA QUE O FÁBIO NÃO SABIA) , E É A SUA HORA , AGORA OU NUNCA MAIS . MÁRIO FILHO.

    ResponderExcluir