Parabéns, Galo! E mais profissionalismo, por favor!

Alisson Millo*
Publicada em 25/03/2020, às 15h30

O mundo parou. Mesmo sendo a mais importante entre as coisas não importantes, futebol não é prioridade, então mais do que certo parar também. O Atlético deu uma pausa generalizada nas atividades, então não teremos assunto, certo? Errado! Sem jogos, aproveitamos o espaço para relembrar nosso início de ano. Senta que lá vem tristeza.

Sábado retrasado foi dia de estreia de Jorge Sampaoli. Com alguns meses de atraso, o argentino finalmente assumiu o posto que já deveria ser dele desde o fim de 2019. Esse pequeno percalço resultou no começo de temporada mais vexatório dos últimos tempos.

O estrago da era Dudamel no Galo é incalculável. O alento no trabalho do venezuelano é a contratação de Savarino. Fora o ponta direita, vimos um acúmulo de patacoadas dignas de amadorismo profundo. Justamente o amadorismo do qual o treinador tentava fugir ao deixar o trabalho em sua seleção natal. A falta de experiência dele à frente de uma equipe de peso foi notória, tanto quanto a ausência de tato no dia a dia para lidar com os atletas e com a pressão de um trabalho no Atlético.

O resultado é uma temporada praticamente perdida e, agora, os esforços são para tentar salvá-la. Sampaoli chegou com seus homens de confiança, Alexandre Mattos veio para tentar pôr ordem no departamento de futebol e a diretoria está se movimentando para reforçar o elenco para brigar pelas cabeças no Brasileirão, exigência do treinador para poder assumir o comando. Mas aí vem minha pergunta. Não seria melhor evitar que a vaca fosse para o brejo em vez de ter que tentar tirá-la de lá?

A tecla em que eu já bati aqui várias vezes, e vários outros cronistas batem, é que o planejamento do Galo é deficiente. Composição e montagem de elenco, gastos, estratégias nas janelas de transferências. Tudo isso parece ser feito às pressas, mal feito ou, por que não, sequer feito.

Jorge Sampaoli: a cara do novo Atlético
(Créditos: Bruno Cantini/Agência Galo/Atlético)

As carências já estavam aí, não chegaram com Sampaoli. Verdade seja dita, também não foi Dudamel quem as trouxe. Elas são visíveis há muito tempo e não foi por falta de alerta nem de pressão que elas não foram supridas. O último treinador foi incapaz de dar uma cara ao time, e isso passa pela incapacidade dele. Talvez até por isso ele não fosse a primeira opção para assumir o posto. Mas a lentidão da zaga, o problema da lateral-esquerda e a falta de gols do nosso ataque vêm de antes.

Fazer o papel de advogado do diabo não é minha praia, mas é sério que ninguém conseguiu se atentar a isso? Não teve ninguém para fazer essa análise do elenco? E o que é pior: ninguém conseguir prestar atenção nisso ou enxergar alguém competente para resolver? Foi preciso chegar um cara de fora para bater na mesa, falar grosso e se preocupar mais com o Atlético do que quem deveria decidir os rumos do clube?

Com Guga na seleção, ficou evidente que não temos reposição à altura para a lateral-direita. Na esquerda, Arana chegou bem depois do início das competições. No ataque, Tardelli só estreou após a troca no comando. Savarino só ficou à disposição com a temporada já rolando. As novidades que estão desde o começo são Hyoran e Allan - e verdade seja dita nenhum deles tem convencido. Por que as negociações demoraram tanto para acontecer? Como conseguem prejudicar tanto o andamento do ano?

Por vezes parece que ninguém se importa e que a torcida que agradeça de joelhos aos dirigentes por estarem fazendo um favor à frente do clube. Digo dirigentes e à frente porque não dá para falar em gestão e gerência. E a verdade é que o Atlético não pertence a um, dois ou sete.

O Clube Atlético Mineiro tem 112 anos de história e vem se apequenando por algumas administrações desastrosas. Mas fato é que as mesmas pessoas que choram o leite derramado são as responsáveis por chutarem o balde cheio. Dizem que se não é sofrido não é Galo, mas poderiam deixar essa máxima apenas para o campo, não precisava ser assim também fora dele. Parabéns, maior de Minas! E mais profissionalismo, por favor!

*Jornalista. Corneteiro confesso e atleticano desde 1994.
@amillo01 no Twitter, capitão da seção Fala, Atleticano!

Nenhum comentário:

Postar um comentário