11/09/2013

Brilha a estrela solitária

Lucas Borges

A cada rodada, a superação de um grande desafio. Talvez seja a melhor definição do primeiro turno do Botafogo neste Brasileiro. Uma mistura da experiência de Jefferson, Bolívar e Seedorf com a juventude de Gabriel, Dória, Gilberto e até do recém-saído Vitinho é a fórmula de sucesso. Que levou o alvinegro à sua melhor campanha no primeiro turno da competição na era dos pontos corridos.

As adversidades como a perda do Engenhão, salários atrasados e a saída de atletas importantes para o clube, como Fellype Gabriel, Andrezinho e Vitinho, têm sido sempre superados por Oswaldo de Oliveira. A boa safra de jovens vem sendo uma das armas do técnico. Outra arma de Oswaldo vem sendo Rafael Marques. Antes criticado, e hoje aplaudido, é goleador do time, com oito gols.

Seedorf e Hyuri: união de gerações
(Créditos: Satiro Sodré/SSPress/Botafogo)

Por último, a liderança do holandês Seedorf foi o pilar emocional do clube nessa primeira fase do campeonato. O craque representa um pai para as jóias de Marechal Hermes, e tem dado bastantes conselhos. De tática e posicionamento à conduta diante da imprensa. A liderança de Seedorf é, também, um ponto de apoio para Oswaldo, posicionando-se como porta-voz em campo.

Torcedor de alma lavada

Os botafoguenses só têm a comemorar. O primeiro turno representou uma lavada na alma pessimista do torcedor. A briga pelo Campeonato é possível, mas o maior adversário, o Cruzeiro, vem mostrando a sua força com um elenco compacto e sólido. E portanto, só o tempo dirá quem vai levar este título!

Nenhum comentário:

Postar um comentário