21/02/2015


Retrospecto no Horto é favorável ao Atlético, que registra 29
vitórias em 64 jogos; Galo está invicto no novo Independência

Vinícius Dias

Neste domingo, às 16h, América e Atlético se enfrentam pela 65ª vez no Independência. Tratado como 'Clássico das multidões' e disputado desde 1913, o embate centenário teve o estádio do Horto como palco de alguns de seus principais capítulos ao longo das últimas décadas. A história, que teve início em 1950, ano de inauguração do estádio Raimundo Sampaio, ganhou novos rumos a partir de 2012, quando o time alvinegro passou a mandar suas partidas no local.


De acordo com levantamento feito pelo historiador Carlos Paiva, o primeiro confronto no estádio foi disputado no dia 31 de dezembro de 1950. No marcador, goleada alvinegra, por 6 a 2. No dia 22 de junho de 1952, os clubes voltaram a se enfrentar no Horto, com triunfo do time americano, por 3 a 1. De lá para cá, foram registrados outros 62 encontros, com retrospecto favorável ao Atlético. 

Atlético levou a melhor no último ano
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

A história contabiliza 29 vitórias alvinegras, 16 empates e 19 triunfos do América no estádio. Invicto há 15 partidas, o Atlético foi derrotado pela última vez em setembro de 1964. O clube alvinegro também tem ampla vantagem em jogos no 'novo Independência'. Em seis confrontos, foram quatro triunfos e dois empates. O último deles, em março passado, pelo Campeonato Mineiro: 1 a 1.

Artilheiros do clássico

Ao longo dos 65 anos de história no Independência, o clássico também consagrou artilheiros do futebol mineiro. Recentemente, goleadores como Fred, Diego Tardelli, Bernard e Fábio Júnior registraram seus nomes no histórico do confronto. Nenhum deles, contudo, superou os números do atacante Nilson Cardoso. O itabiritense marcou dez gols com a camisa do Atlético. Do lado do América, o principal nome foi Zuca, que balançou as redes em oito oportunidades.

Nilson: goleador atleticano no Horto
(Créditos: Arquivo Pessoal/Nilson Cardoso)

Neste domingo, os rivais devem adotar estratégias distintas. Do lado do América, que vai a campo com força máxima, Rodrigo Silva é a principal aposta de Givanildo Oliveira. O atacante, estreante no duelo, sonha em marcar pela primeira vez contra o rival. Priorizando a Copa Libertadores, Levir Culpi sinaliza time misto. O ataque alvinegro deve ser comandado por André, que já balançou as redes no clássico em 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário