24/07/2015

Centralização à moda celeste

Vinícius Dias

Em outubro passado, Gilvan de Pinho Tavares foi reeleito por aclamação. Nove meses depois - e com menos de um quarto do segundo mandato cumprido -, a postura do presidente bicampeão brasileiro vem dividindo opiniões nos bastidores do Barro Preto. Embora descartem a hipótese de ruptura, conselheiros ouvidos pelo Blog destacaram que, na comparação com o mandato anterior, Gilvan tem dialogado menos com seus pares e adotado estilo centralizador.

Gilvan foi reeleito em outubro passado
(Créditos: Site Oficial do Cruzeiro/Divulgação)

As fontes citam a menor presença em eventos internos e a busca por um diretor de futebol para confirmar o cenário. De modo informal, nomes de vários perfis foram sugeridos, mas o presidente reafirmava o plano de ter um nome de sua confiança. A indicação, no caso de Isaías Tinoco, foi de Luxemburgo. Na terça-feira, horas após José Francisco Lemos - primeiro vice e nome mais próximo de Gilvan - confirmar o acerto, membros do Conselho buscavam referências sobre o profissional.

Torcida por proposta

Com 16 reforços, o Cruzeiro fechou o primeiro semestre com uma folha salarial superior a R$ 9 milhões. Hoje, o objetivo é reduzi-la. A saída de Henrique Dourado e a redução salarial aceita por Júlio Baptista foram os capítulos iniciais. E o terceiro pode ser a saída de Seymour. Conforme o Blog apurou, equipes chilenas têm feito consultas a Fernando Felicevich, agente do volante. "Ficaríamos satisfeitos se houvesse proposta", avaliou um membro da cúpula celeste.

Situação monitorada

Em campo, a julgar pelas últimas partidas, Fabrício é o preferido de Luxa para a lateral-esquerda. Nos bastidores, contudo, a situação do atleta é monitorada com atenção. Por indicação do técnico Abel Braga, o Al-Jazira, dos Emirados Árabes, cogita fazer uma ofensiva para tê-lo. O acordo de empréstimo com o Inter prevê que, em caso de proposta do exterior, a Raposa deve cobrir os valores ou liberar Fabrício. Aberta há cinco dias, a janela local fecha em outubro.

Um comentário:

  1. Ele deve estar muito arrependido de ter escutado esse conselho e ter demitido o Marcelo. É só ver os resultados de Cruzeiro e Palmeiras..

    ResponderExcluir