30/10/2016

Os dois lados do Atlético x Flamengo

Vinícius Dias

Quatro gols, uma virada no placar e emoção do início ao fim: Atlético e Flamengo fizeram nesse sábado, em um Mineirão com mais de 48 mil torcedores, uma das melhores partidas do Campeonato Brasileiro. No tira-teima entre a transpiração alvinegra e o jogo coletivo rubro-negro, empate por 2 a 2. Resultado que, no fim, agradou apenas ao Palmeiras - apesar da derrota no clássico diante do Santos, agora terceiro colocado, o time de Cuca segue isolado na liderança.


Diante de um Atlético defensivamente mal, foi o Flamengo quem abriu o placar. Aos 32', Paolo Guerrero ajeitou para Diego estufar as redes. Triunfo parcial do time mais organizado e que dominava as ações: 12 finalizações contra quatro, 60% x 40% em posse, segundo o Footstats. Com menos bola nos pés e 50% mais passes errados, evidenciando a dificuldade em concretizar o jogo coletivo e ameaçar a meta adversária, o Atlético contou com a inspiração de Victor para seguir vivo.  

Disputa entre Réver e Fred na área
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Na etapa final, Marcelo Oliveira pôs Pratto na vaga de Donizete - antes, Luan havia substituído Cazares. Zé Ricardo respondeu com Sheik e Alan Patrick. O Flamengo perdeu velocidade na transição. O time mineiro passou a ameaçar com frequência, mas esbarrava no método: bola na área. Até o pênalti de Réver em Fred. Robinho igualou o marcador aos 36' e, depois, achou Pratto livre: virada que, devido a mais uma falha defensiva, culminando em gol de Guerrero, durou apenas três minutos.

Com Robinho e Diego decisivos, o duelo no Mineirão foi excelente.
Mas, mirando a classificação, talvez mineiros e cariocas discordem.

29/10/2016


De acordo com interlocutores, Atlético também mantém conversas
com emissora; diretor alvinegro evita comentários sobre o assunto

Vinícius Dias

Antes mesmo de ter a tabela definida, o Campeonato Mineiro já é assunto nos bastidores. O motivo é o novo contrato de televisão. Interlocutores afirmaram ao Blog Toque Di Letra que Atlético e Cruzeiro mantêm conversas com a emissora favorita a adquirir os direitos - oficialmente, apenas a diretoria celeste confirma -, pleiteando cotas com valores quase dobrados em relação ao último contrato. O cenário é encarado com receio pelos demais clubes, em especial os do interior.


O acordo que vigorou até 2016 tinha base de R$ 23 milhões anuais, com as equipes do interior faturando mais de R$ 500 mil por edição. Atlético e Cruzeiro tinham cotas acima dos R$ 7 milhões, enquanto o América recebia quase R$ 2 milhões. Em relação ao novo contrato, a projeção inicial era de que a base superasse os R$ 40 milhões. Contudo, a avaliação é de que, mantidas as negociações em separado, os demais participantes podem ter poder de barganha e ganhos minimizados.

Dirigentes mineiros reunidos na FMF
(Créditos: Site Oficial da FMF/Divulgação)

Atual campeão, o América já sinalizou sua expectativa à emissora, mas as tratativas ainda não avançaram. A princípio, a intenção é aumentar a participação no bolo - antes da queda para o módulo II, em 2007, o Coelho chegou a ter uma fatia de 12,5%, reduzida para 8% no último contrato. Entre os clubes do interior, dois dos dirigentes ouvidos pela reportagem afirmaram que, até o momento, não houve nenhum contato para negociação dos direitos de transmissão.

Bastidores das negociações

Em entrevista ao Blog, o diretor comercial Róbson Pires confirmou que o Cruzeiro está perto de acertar um novo contrato. "Procede. O presidente (Gilvan de Pinho Tavares) está negociando, e já está bem adiantado". Sem citar valores, o dirigente celeste adiantou que "haverá uma valorização bem elevada da cota atual para a do próximo ano". Ainda de acordo com Róbson Pires, durante as tratativas, Gilvan tem trocado informações com presidentes de outros clubes.

Róbson Pires avalia negociação celeste
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Questionado sobre as negociações envolvendo o Atlético, o diretor de comunicação Domênico Bhering disse desconhecer o assunto. Segundo ele, atualmente, o foco do clube alvinegro é a briga por títulos. "Nós estamos aqui com Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro", enumerou.

28/10/2016


Apenas quatro atletas celestes terão contratos encerrados neste
ano; estrangeiros e referências do time têm vínculos mais longos

Vinícius Dias

Com apenas 2,7% de chances de rebaixamento, conforme o Departamento de Matemática da UFMG, o Cruzeiro está perto de garantir a permanência na elite e ainda luta por vaga na final da Copa do Brasil. Paralelamente, nos bastidores, a diretoria já trabalha visando à próxima temporada. Além de avaliar nomes de possíveis reforços, o Cruzeiro busca definir a situação dos atletas que voltam de empréstimo ou têm contratos perto do fim.

Nos bastidores, Raposa já planeja 2017
(Créditos: Pedro Vilela/Light Press/Divulgação)

O Blog Toque Di Letra, em parceria com o portal Rede do Futebol, fez um levantamento da situação contratual dos jogadores do elenco celeste. Quatro atletas, entre eles os dois zagueiros titulares, terão vínculos encerrados ainda neste ano. Por outro lado, mais de dez jogadores que estão emprestados retornam à Toca da Raposa II em janeiro. Destaque para o atacante Neilton, autor de 12 gols no ano pelo Botafogo.

Goleiros:
Rafael - dezembro de 2019
Fábio - julho de 2018
Lucas França - dezembro de 2018
Elisson - dezembro de 2017

Laterais-direitos:
Ezequiel - julho de 2019
Lucas* - dezembro de 2016
Mayke - dezembro de 2018

Zagueiros:
Bruno Rodrigo* - dezembro de 2016
Léo **- dezembro de 2016
Manoel - junho de 2018
Fabrício Bruno - dezembro de 2018
Dedé** - abril de 2017

Laterais-esquerdos:
Edimar - junho de 2018
Bryan - maio de 2019

Volantes:
Henrique - janeiro de 2018
Ariel Cabral - dezembro de 2018
Lucas Romero - fevereiro de 2021
Denílson* - dezembro de 2016
Bruno Edgar - dezembro de 2018
Federico Gino - junho de 2018

Meias:
Robinho* - dezembro de 2017
De Arrascaeta - dezembro de 2019
Alisson - junho de 2018
Alex - dezembro de 2019
Rafinha - julho de 2018
Élber - dezembro de 2018
Marcos Vinícius - dezembro de 2019
Bruno Nazário* - julho de 2017

Atacantes:
Ramón Ábila - junho de 2020
Rafael Sóbis - dezembro de 2019
Willian - dezembro de 2018
Judivan - dezembro de 2018

Voltam de empréstimo:
Fabiano - dezembro de 2019
Douglas Grolli - fevereiro de 2018
Mena - janeiro de 2018
Pará - junho de 2019
Willians - janeiro de 2018
Souza - dezembro de 2017
Uillian Correia - agosto de 2019
Willian Farias - fevereiro de 2018
Allano - dezembro de 2018
Gabriel Xavier - fevereiro de 2018
Neílton - junho de 2018
Matías Pisano - dezembro de 2018
Joel - junho de 2020
Rafael Silva - dezembro de 2017
Rony - abril de 2018

*Atletas emprestados ao Cruzeiro
**Negociam renovação contratual

27/10/2016


Além de Léo Silva, vínculos de Leandro Donizete e Júnior Urso se
encerram neste ano; Rafael Moura, em alta, volta de empréstimo

Vinícius Dias

Com o Atlético em vantagem diante do Internacional na Copa do Brasil e em terceiro lugar no Campeonato Brasileiro, comissão técnica e elenco se concentram na busca por títulos. Fora de campo, no entanto, a diretoria já planeja a próxima temporada. Os trabalhos incluem o monitoramento de potenciais reforços e também a definição da situação dos atletas que retornam de empréstimo ou têm contratos perto do fim.

Diretoria alvinegra já trabalha para 2017
(Créditos: Bruno Cantini/Atlético-MG/Figueirense)

O Blog Toque Di Letra, em parceria com o portal Rede do Futebol, fez um levantamento da situação contratual dos jogadores do elenco alvinegro. Seis atletas, entre eles o capitão Leonardo Silva, terão vínculos encerrados ainda neste ano. Por outro lado, pelo menos oito jogadores que estão emprestados retornam à Cidade do Galo em janeiro. Destaque para o centroavante Rafael Moura, artilheiro do Figueirense na temporada.

Goleiros:
Victor - junho de 2019
Giovanni - dezembro de 2016
Uilson - agosto de 2019
Cleiton - dezembro de 2019

Laterais-direitos:
Marcos Rocha - dezembro de 2018
Carlos César - julho de 2018
Patric - dezembro de 2018

Zagueiros:
Leonardo Silva - dezembro de 2016
Erazo - dezembro de 2019
Edcarlos - dezembro de 2016
Gabriel - dezembro de 2018
Ronaldo Conceição - dezembro de 2017
Jesiel - dezembro de 2018

Laterais-esquerdos:
Fábio Santos - dezembro de 2018
Leonan - dezembro de 2017

Volantes:
Leandro Donizete - dezembro de 2016
Rafael Carioca - agosto de 2019
Júnior Urso* - dezembro de 2016
Lucas Cândido - dezembro de 2019
Yago - dezembro de 2019

Meias:
Juan Cazares - dezembro de 2019
Romulo Otero* - junho de 2017
Maicosuel - maio de 2019
Dátolo - dezembro de 2016
Carlos Eduardo - dezembro de 2017

Atacantes:
Fred - dezembro de 2018
Lucas Pratto - dezembro de 2018
Robinho - dezembro de 2017
Luan - abril de 2019
Clayton - dezembro de 2020
Hyuri - dezembro de 2019
Carlos - junho de 2019

Voltam de empréstimo:
Donato - dezembro de 2017
Dodô - novembro de 2019
Claudio Leleu - abril de 2018
Renan Oliveira - julho de 2017
Wescley - junho de 2018
Rafael Moura - dezembro de 2017
Marion - junho de 2017
Henrique - dezembro de 2019

*Atletas emprestados ao Atlético

26/10/2016


Cinco dos mais escalados nesta temporada têm contrato somente
até dezembro; ídolo João Ricardo tem vínculo por mais dois anos

Vinícius Dias

Com 99,96% de chances de rebaixamento, conforme o Departamento de Matemática da UFMG, o América tem jogado as últimas fichas para evitar a volta à Série B. Enquanto isso, nos bastidores, a diretoria já trabalha visando à próxima temporada. Além de avaliar nomes de possíveis reforços, o Coelho busca definir a situação dos atletas que voltam de empréstimo ou cujos contratos se encerram ainda neste ano.

Nos bastidores, América já planeja 2017
(Créditos: Carlos Cruz/América FC/Democrata-GV)

O Blog Toque Di Letra, em parceria com o portal Rede do Futebol, fez um levantamento da situação contratual dos jogadores do elenco alviverde. 13 atletas terão vínculos encerrados logo após o Brasileirão. Cinco desses - Alison, Leandro Guerreiro, Pablo, Claudinei e Osman - estão entre os mais utilizados na temporada. Por outro lado, pelo menos seis jogadores retornam de empréstimo em janeiro.

Goleiros:
João Ricardo - dezembro de 2018
Fernando Leal - dezembro de 2016
Glauco - dezembro de 2019
Jory - julho de 2019

Laterais-direitos:
Jonas - dezembro de 2016
Helder - maio de 2017

Zagueiros:
Alison - dezembro de 2016
Éder Lima - dezembro de 2016
Messias - dezembro de 2018
Roger Duarte - dezembro de 2019
Cardoso - dezembro de 2016

Laterais-esquerdos:
Danilo Barcelos - dezembro de 2017
Gilson - dezembro de 2016
Bruno Teles - dezembro de 2016

Volantes:
Leandro Guerreiro - dezembro de 2016
Juninho* - dezembro de 2016
Pablo* - dezembro de 2016
Ernandes - dezembro de 2017
Claudinei* - dezembro de 2016
Renato Bruno - dezembro de 2016
Makton - outubro de 2020
Christian Sávio - dezembro de 2017

Meias:
Matheusinho - setembro de 2021
Tony - dezembro de 2017
Osman* - dezembro de 2016
Guilherme Xavier - dezembro de 2017

Atacantes:
Nixon* - dezembro de 2016
Michael* - dezembro de 2016
Danilo Dias - dezembro de 2017
Bruno Sávio - dezembro de 2017
Nilson* - dezembro de 2016
Vitinho Ruas - dezembro de 2017

Voltam de empréstimo:
Glaycon - dezembro de 2017
Danilinho - dezembro de 2017
Douglas Dopô - dezembro de 2017
Diego Henrique - dezembro de 2017
Renatinho - dezembro de 2017
Rubens - dezembro de 2018

*Atletas emprestados ao América

25/10/2016

A quatro jogos de salvar a temporada

Douglas Zimmer*

Salve, China Azul!

Que sequência de jogos para o torcedor celeste, amigo! Depois da tensão quase palpável que tomou conta do Mineirão na última quarta-feira, quando o Cruzeiro conseguiu eliminar o Corinthians da Copa do Brasil, nesse domingo foi a vez de o torcedor sofrer em frente ao televisor acompanhando a magra, porém importantíssima e heroica, vitória diante do rubro-negro baiano, em Salvador. Ao bater o Vitória, além de manter o adversário na zona do rebaixamento, a Raposa viu a distância para a ameaça aumentar.


Com isso, o cenário que parecia tenebroso ou, no mínimo, preocupante, passou a se mostrar mais favorável ao Cruzeiro. O momentâneo alívio adquirido no Campeonato Brasileiro e a 'inesperada' presença entre os quatro melhores da Copa do Brasil podem recompensar uma torcida que tanto sofreu, mas que nunca deixou de apoiar a equipe. É como se a Raposa estivesse a dois jogos de ficar a outros dois jogos de salvar um ano perdido.

Ariel foi herói de triunfo em Salvador
(Créditos: Edson Ruiz/Light Press/Cruzeiro)

E se alguém tinha dúvidas de que o clube celeste apostaria suas últimas fichas na Copa do Brasil, elas devem ter sido pulverizadas com a escalação de um time quase que todo reserva diante do Vitória. Em um confronto no qual os três pontos eram fundamentais, dá para se dizer que Mano Menezes foi ousado ao poupar seus principais jogadores. Talvez tenha sido mais sorte do que juízo, mas o importante, por ora, é que a estratégia funcionou e o time vai com a bateria um pouco menos gasta para o primeiro jogo das semifinais.

Duelo dos maiores campeões

Porém, como sempre, o Cruzeiro não terá vida fácil. O Grêmio, que está há 15 anos sem conquistar um título importante, vem com foco total e prioridade declarada para conquistar a vaga na decisão. Nos dois jogos entre as equipes neste ano, uma vitória para cada lado. Os gaúchos venceram por 2x0 no turno, enquanto ganhamos pelo placar mínimo no returno. Sinal de um confronto completamente aberto, em que qualquer previsão seria leviana de minha parte.

Neste mês, Cruzeiro derrotou o tricolor
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Sobre o Cruzeiro, o que dá para afirmar é que o time dá mostras de ter condições de encarar o desafio de igual para igual, caso mantenha a concentração e o nível de atuações que vem apresentando. Contando com a presença maciça da sua esperançosa torcida, a certeza é de que não faltarão luta e entrega. Que tudo o que for possível de ser feito para salvar este ano seja feito.

*Gaúcho, apaixonado pelo Cruzeiro desde junho de 1986.
@pqnofx, dono da camisa 10 da seção Fala, Cruzeirense!

24/10/2016


Auxiliar pessoal de Telê Santana nas Copas de 1982 e 1986, Renê
exalta começo de trabalho de Tite e recorda a trajetória do pai

Vinícius Dias

O sucesso de Tite nos primeiros jogos à frente da seleção, com 12 gols marcados e apenas um sofrido nas vitórias consecutivas sobre Equador, Colômbia, Bolívia e Venezuela, deixou o Brasil perto de assegurar vaga na próxima Copa do Mundo. Mais do que isso: 35 anos depois, o gaúcho igualou uma marca de Telê Santana, que, em 1981, havia sido o último comandante canarinho a registrar 100% de aproveitamento em seus quatro primeiros confrontos válidos por Eliminatórias.


Na visão de Renê Santana, filho e auxiliar pessoal do treinador mineiro nas Copas de 1982 e 1986, as semelhanças entre as trajetórias ultrapassam os números. "A comparação que se deve fazer é exatamente essa: os dois assumiram a seleção em um momento de necessidade de se impor e apoiados", afirma ao Blog Toque Di Letra. "Se houvesse uma votação popular para definir o treinador, quase todos votariam no Tite. Telê, na época, também teve aceitação geral", acrescenta.

Com Tite, seleção lidera Eliminatórias
(Créditos: Lucas Figueiredo/CBF/Divulgação)

O gaúcho aceitou o convite da CBF em junho, sete meses após conquistar o Campeonato Brasileiro pelo Corinthians. No caso de Telê Santana, a primeira passagem teve início em 1980. A exemplo de Tite, o treinador estava no futebol paulista à época. "Foi o trabalho que ele fez no Palmeiras que o levou à seleção. Ele já havia se destacado no Fluminense, no Atlético e no Grêmio. No Palmeiras, não foi campeão, mas a qualidade do jogo que ele implantou (chamou a atenção)", considera Renê.

Do sexto lugar à liderança

Tite assumiu o cargo antes da 7ª rodada das Eliminatórias, com o Brasil em sexto lugar. Quatro meses depois, em meio à sequência de vitórias, a equipe chegou à liderança. "Foi uma conquista própria, uma conquista do Tite, o fato de o trabalho dele tê-lo levado à seleção, e não sua imagem como futebolista", pontua o filho de Telê, tecendo elogios ao treinador. "Mudou completamente o ambiente, a credibilidade retornou. Além da qualidade individual dos jogadores, agora existe um conjunto funcionando".

22/10/2016


Apresentado por Orlando Augusto, Meio de Campo vai debater
participação dos clubes mineiros na Copa do Brasil e na Série A

Da Redação

O editor-chefe do Blog Toque Di Letra, Vinícius Dias, será um dos convidados do programa Meio de Campo, da Rede Minas, neste domingo. O apresentador Orlando Augusto também receberá os jornalistas Antônio Melane e Márcio Elias. A atração vai ao ar às 21h.

Orlando Augusto comanda o programa
(Créditos: Meio de Campo/Divulgação)

Estarão em pauta a 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, com destaque para as partidas envolvendo clubes mineiros, e as semifinais da Copa do Brasil. Na próxima semana, Atlético e Cruzeiro entram em campo para os jogos de ida contra Internacional e Grêmio, respectivamente.

Acompanhe o programa

O Meio de Campo vai ao ar neste domingo, a partir das 21h, e pode ser acompanhado por TV a cabo (em BH) e sinais analógico e digital. Também haverá transmissão, ao vivo, pela internet.


Atacante, de 37 anos, é um dos reforços confirmados pelo clube
de Três Corações; lista tem campeão brasileiro pelo Corinthians

Vinícius Dias

Aos 37 anos, Carlinhos Bala está de volta ao futebol mineiro. O atacante foi confirmado como reforço do Tricordiano, equipe da terra natal de Pelé. O Galo de Três Corações, que se prepara para disputar o módulo I pelo segundo ano seguido, também anunciou a chegada do zagueiro Wescley, campeão brasileiro pelo Corinthians em 2005, e os retornos do goleiro Marcão e do lateral-direito Rodrigo Paulista, que defenderam o clube nesta temporada.

Carlinhos Bala fez história no Sport
(Créditos: Arquivo Pessoal/Carlinhos Bala)

Autor de três gols na última edição da Série D do Campeonato Brasileiro pelo Altos, do Piauí, Carlinhos Bala se mostrou ciente do desafio que terá em Três Corações e convocou o torcedor local. "Conto com a presença de vocês no estádio, sempre nos incentivando e apoiando para que possamos fazer um campeonato maravilhoso", destacou o folclórico atacante pernambucano, que vestiu a camisa do Cruzeiro em 2006.

Novidades nos bastidores

Conforme o Blog Toque Di Letra registrou há uma semana, o treinador do Tricordiano será Edinho Nascimento. "Unimos o útil ao agradável: é o filho do Rei, na terra do Rei", disse o vice-presidente do clube, Rodrigo Germano, na ocasião. Também visando à próxima temporada, o ex-zagueiro Henrique, que teve passagens por Vasco e Atlético nas décadas de 1990 e 2000, assumiu recentemente o cargo de diretor de futebol.