02/02/2017

O triunfo do meio-campo cruzeirense

Vinícius Dias

No primeiro grande teste da temporada para Cruzeiro e Atlético, a torcida celeste teve motivos para festejar. Diante de mais de 41 mil presentes no Mineirão, o time comandado por Mano Menezes venceu e convenceu. Três pontos consolidados no meio-campo, melhor na proteção defensiva e mais eficiente na construção ofensiva, contra um Atlético ainda longe do padrão Roger Machado, de posse de bola e transição rápida. Se diz pouco sobre o futuro, fato é que o clássico aponta caminhos.


A primeira etapa teve domínio do Cruzeiro, funcionando melhor coletiva e individualmente. Pressão na saída e força pela esquerda, com Alisson e a movimentação de Arrascaeta e Rafael Sóbis, foram os caminhos celestes. Marcos Rocha, freado, fez em vários momentos uma linha de três com os zagueiros, enquanto Fábio Santos tinha maior liberdade. Aos 27', o ótimo lançamento de Ariel Cabral surpreendeu a marcação alta atleticana, Felipe Santana falhou, e Arrascaeta abriu o placar.

Arrascaeta comemora: outra vez, herói
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

O Atlético voltou para o segundo tempo visando valorizar a posse de bola, mas esbarrava na falta de objetividade do meio-campo e no passe longo, quase sempre sem sucesso, no momento da transição. Sem a bola e bem marcado, Lucas Pratto passou 90 minutos sem finalizar. Mais organizado e propondo jogo, o Cruzeiro ameaçava. Giovanni evitou dois gols, mas não o fim do tabu de sete clássicos sem vitórias azuis no Mineirão e, no geral, a ampliação da invencibilidade para 22 meses.

No segundo jogo, é impossível assegurar aonde ambos chegarão.
Mas, no clássico, o Cruzeiro foi superior. Mais do que o placar diz.

2 comentários:

  1. "Mais organizado e propondo jogo, o Cruzeiro ameaçava. Giovanni evitou dois gols, mas não o fim do tabu de sete clássicos sem vitórias azuis no Mineirão e, no geral, a ampliação da invencibilidade para 22 meses."
    Está errado. Seriam "sete clássicos sem vitórias alvinegras".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há erro algum, Pedro!

      No Mineirão, eram sete clássicos sem vitórias do Cruzeiro - desde 07/2013, pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro. Tabu quebrado nessa quarta-feira.

      No geral, eram cinco sem vitórias do Atlético - desde 04/2015, no segundo jogo das semifinais do Mineiro. Contabilizado esse resultado, são seis.

      Excluir