10/02/2017

Pratto: a saída antes do último tango

Alisson Millo*

Intenso, com início e meio, mas quase sem despedida: Lucas Pratto se vai. Em um clima um tanto quanto triste e até meio mórbido, como um bom tango argentino, o urso confirmou a migração para São Paulo. Ou melhor, para o São Paulo. Seu último adeus aconteceria diante do Joinville, nessa quinta-feira, mas o ritmo da negociação não cedeu ao desejo mundano de completude. Pratto não entrou em campo e apenas acenou para a torcida, que assistiu à vitória por 2 a 0.


As últimas impressões não foram tão positivas: o clássico apagado e outra atuação abaixo do 'nível Pratto' no último sábado. E a verdade é que, há algum tempo, o camisa 9 não vinha tão bem, mas era - e ainda é, por que não? - ídolo e tinha a confiança da massa. Desde 2015, disputou 107 jogos e marcou 42 gols. Os mais notáveis nas semifinais do Campeonato Mineiro contra o Cruzeiro e um hat-trick justamente diante do São Paulo. Números que fazem do centroavante o maior artilheiro estrangeiro com a centenária camisa do Atlético.

Argentino comemora gol pelo Atlético
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

A memória da última grande atuação de Pratto remonta ao duelo com o Inter, nas semifinais da Copa do Brasil. Praticamente sozinho, ele levou o Galo à final, com dois gols e duas assistências em duas partidas. Prova de que era decisivo dentro e fora da área. Ao todo, 14 passes para gols, fora carrinhos na defesa, as vezes em que voltou para buscar o jogo. Grande, meio desengonçado, mas forte, raçudo e ótimo finalizador. Mesmo fora da melhor fase, o argentino de características únicas fará falta.

Em BH, memórias e um ótimo elenco

Primeira contratação da era Nepomuceno, o urso finaliza - ou interrompe - sua história no Atlético. Sorte ao atleta que, por dois anos, serviu tão bem ao Galo. Sorte a ele também na seleção argentina - se bem que jogar ao lado de Messi deve ser muito fácil. Para o São Paulo, nem tanta sorte assim. Para o Atlético, vão-se os jogadores, ficam as lembranças, que neste caso são boas. E fica também um clube gigante, que tem um ótimo elenco, capaz e obrigado a fazer boa temporada. 

*Jornalista. Corneteiro confesso e atleticano desde 1994.
Goleiro titular e atual capitão da seção Fala, Atleticano!

2 comentários:

  1. Perfeita colocação! A Diretoria agiu de forma acertada vendendo o Pratto, jogador de quase 29 anos. Se realmente foi pelos valores especulados, não havia razão para não fazê-la. Temos o Fred e o Rafael Moura que podem "dar conta do recado"! Sem contar as improvisações que podem ser feitas! Um time forte, começa com finanças equilibradas e pagamentos em dia! Reforços só chegarão com dinheiro e a visão de ser um time organizado e correto em seus compromissos! Lembre-se: não existe jogador maior que o GALO! Continuaremos a mandar em nosso "terreiro" que, diga-se de passagem, está cada vez maior! Do tamanho do Mundo! GALÔÔÔÔ!

    ResponderExcluir