17/07/2015


No estádio, equipe alvinegra tem 100% de aproveitamento no
Brasileiro, ótimos públicos e renda média superior à do Horto

Vinícius Dias

Nos últimos três anos, os atleticanos se acostumaram a chamar a Arena Independência de casa. O ótimo retrospecto no caldeirão deu origem ao bordão "caiu no Horto, tá morto". Mas, no roteiro de títulos como Copa Libertadores, Recopa Sul-Americana e Copa do Brasil, o Mineirão ganhou destaque. Nesta temporada, o Gigante da Pampulha se transformou em trunfo na busca pelo título brasileiro. E a volta ao estádio já tem data marcada: 25 de julho, diante do São Paulo.


Esta será a quarta partida do time como mandante no Mineirão em 2015, superando a marca dos últimos anos - em 2013, o alvinegro fez apenas duas partidas no estádio e, na temporada passada, fez três. Os números sugerem casamento perfeito. A média de público é de 53.481 torcedores por duelo, com recorde de 55.987 presentes contra o Joinville, em uma manhã de sábado. A renda é de R$ 1.880.760,00 por partida, em média. Números superiores aos registrados no Horto. E, no Brasileiro, são duas vitórias em dois jogos.

No Mineirão, Atlético venceu o Sport
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

O retorno gradativo ao estádio tem a aprovação dos torcedores. É o caso do gerente de vendas Pedro Júlio Fonseca Nunes, de 25 anos. "Por mais que tenha se criado a mística do Horto, a casa do Atlético é o Mineirão. Sempre foi. Tenho certeza que a diretoria está fazendo a escolha certa", afirma. Saudosista, Pedro se rende. "O Atlético já deveria ter voltado ao Mineirão há muito tempo. Em todos os quesitos, o estádio é muito mais viável", acrescenta.

Cofres e arquibancadas cheios

Na opinião de André Macedo Ribeiro, estudante de Direito, de 23 anos, o mando de campo no Mineirão é interessante sobretudo do ponto de vista financeiro. "Essa volta tem tudo para se consolidar com bons resultados, grande presença de público e cofres cheios", avalia. "Entendo que temos sim um casamento entre Atlético e Mineirão, mesmo não sendo perfeito e com prazo de duração, e é hora de se sacramentá-lo neste Campeonato Brasileiro", completa.

Média, no ano, é de 53 mil por partida
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

A avaliação do torcedor é semelhante à feita pelo presidente atleticano, Daniel Nepomuceno. "Quando jogamos no Mineirão, vencemos. Questão é simples... Lá, a gente tem condições de trabalhar um público maior, uma receita maior. Mas não adianta escolher Mineirão e deixar estádio vazio", afirmou ao Blog em janeiro. Em enquete realizada no mesmo mês, 51% dos participantes se mostraram favoráveis ao retorno ao estádio e 49% preferiram o Horto.

Mando de campo no Mineirão:

Atlético 0x0 Caldense - 53.772 pessoas / R$ 2.387.910,00
Atlético 1x0 Joinville - 55.987 pessoas / R$ 1.583.045,00
Atlético 2x1 Sport - 50.684 pessoas / R$ 1.671.325,00

Um comentário:

  1. Os valores informados acima são da renda bruta de cada jogo

    A receita liquida dos jogos é baixa perto da arrecadação

    Atlético x Joinville lucro liquido do atletico R$ 727.688,43

    Atlético x Sport lucro liquido do atletico R$ R$815.088,95

    ResponderExcluir