30/11/2017

O tri da América que é exemplo para o Brasil

Vinícius Dias

Roubada de bola na intermediária defensiva, contra-ataque e finalização certeira de Fernandinho aos 27 minutos. Aos 41', passe de Jailson para Luan enfileirar a defesa do Lanús e ampliar. Primeiro tempo perfeito do Grêmio em La Fortaleza para coroar o tricampeonato de um time, de fato, libertador. Com o DNA de Renato Gaúcho, primeiro brasileiro a conquistar o principal título sul-americano como jogador e treinador. Dez vitórias, dois empates, duas derrotas, 25 gols marcados e nove sofridos.


Trabalho excepcional, além de resultados e rótulos. Se no discurso Renato valoriza a praia, em campo seu time é produto da preparação. Vitória por 1 a 0 na ida, com 56% de posse e dez finalizações contra duas, de acordo com o Footstats. 2 a 1 na volta, com 41% de posse e 13 finalizações contra dez. Números e cenários distintos, que, paradoxalmente, revelam a identidade do tricolor gaúcho: saber o que fazer em campo. Encurtando espaços sem a bola, triangulando com ela e valorizando o talento.

A América nas mãos de Renato Gaúcho
(Créditos: Lucas Uebel/Flickr/Grêmio FBPA)

Talento de pratas da casa como Arthur e Luan, tão decisivos quanto o excelente Marcelo Grohe e tão campeões como os contestados Edílson, Cortez, Cícero e Jael, reafirmando que conjunto vale mais que grife. A tão sonhada revolução do futebol brasileiro passa por estudo, novos conceitos, mas também por tirar o máximo de um elenco sem estrelas, quebrar o jejum de 15 anos sem títulos nacionais e reinventá-lo após a venda de Walace e as lesões do maestro Douglas e do capitão Maicon.

O merecido tricampeonato é exemplo dentro e fora de campo.
Antes da batalha, Libertadores é bola: o que sobra ao Grêmio.

29/11/2017


Zagueiro, de 23 anos, tem vínculo com o Coelho até dezembro de
2018; diretoria quer manter percentual em caso de transferência

Vinícius Dias

Um dos destaques do setor defensivo do América, vazado apenas 25 vezes em 38 rodadas e novo recordista da Série B nos pontos corridos, Messias conquistou espaço no mercado definitivamente. Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, o zagueiro é alvo de Corinthians, que o monitora desde julho, e Palmeiras para 2018. O prata da casa disputou 32 jogos e marcou um gol na campanha do bicampeonato da divisão de acesso.


O interesse dos clubes paulistas já é assunto no Coelho. Fontes ligadas ao staff de Messias também se mostram cientes, inclusive revelando que houve contatos preliminares com Corinthians e Palmeiras. Até o momento, no entanto, a cúpula alviverde não recebeu proposta oficial pelo zagueiro, de 23 anos. "Não chegou nenhuma, de ninguém", garantiu, na tarde dessa terça-feira, o presidente Alencar da Silveira Júnior.

Messias: 47 jogos e três gols neste ano
(Créditos: Carlos Cruz/América FC/Divulgação)

Detentor de 70% dos direitos econômicos, o América dificilmente negociará toda sua fatia, visando lucro futuro - os outros 30% pertencem à empresa Sports Winners Management. Nos bastidores, a venda do atacante Richarlison para o Fluminense, no fim de 2015, é tratada como exemplo. Consultado sobre a intenção de costurar acordo semelhante em uma eventual transferência do camisa 4, Alencar foi taxativo: "lógico".

Investimento em torno de € 2 mi

Richarlison deixou o Coelho após o acesso à Série A de 2016 por cerca de R$ 10 milhões. À época, o clube manteve 20% dos direitos, que rendera mmais € 2,5 milhões na recente ida para o Watford. Joia do momento, Messias tem contrato apenas até dezembro de 2018. Entre os interessados, a avaliação é de que para tirá-lo do América seria necessário fazer um investimento em torno de € 2 milhões, cerca de R$ 7,6 milhões.

28/11/2017

Atlético traça perfis de reforços para 2018

Vinícius Dias

Embora aguarde o desfecho da luta por uma vaga na Libertadores e a eleição presidencial para tomar as principais decisões, o Atlético já deu início, internamente, ao planejamento para a próxima temporada. Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, os primeiros movimentos nos bastidores indicam que, caso o favoritismo do grupo de situação seja confirmado no pleito de 11 de dezembro, o clube trabalhará por seis reforços para 2018. No comando, a tendência é de que Oswaldo de Oliveira permaneça.

Elenco deve ganhar seis caras novas
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Em contatos preliminares, a sinalização feita a agentes com bom trânsito no alvinegro é de que, à exceção da meta, que tem Victor e Giovanni com contratos longos, os demais setores devem ganhar pelo menos uma nova opção. Diante de um orçamento inferior ao desta temporada, no entanto, a intenção é reduzir a folha salarial simultaneamente. A renovação de Robinho, por exemplo, dependerá da adequação a este cenário. Atletas pouco usados, como o meia-atacante Marlone, deixarão o clube. 

Possíveis reintegrações em 2018

O planejamento, que será aprofundado com a comissão técnica após a eleição, também contempla a redução da média de idade do elenco. Os perfis traçados inicialmente são: lateral-direito e meia mais jovens, lateral-esquerdo para composição e atacante de boa mobilidade, além de um volante e um zagueiro. Atletas que voltam de empréstimo e atendem às características, caso dos atacantes Carlos e Hyuri, ex-Chongqing Lifan, da China, e ex-Internacional, respectivamente, podem ser reintegrados.

27/11/2017


Títulos de Grêmio e Flamengo facilitariam a tarefa do Atlético por
Libertadores; América, sem G9, igualará recorde na Copa do Brasil

Vinícius Dias

Nesta quarta-feira, o Grêmio entrará em campo diante do argentino Lanús, em La Fortaleza, precisando de um empate para conquistar o tricampeonato da Libertadores. Um dia depois será a vez de o Flamengo desafiar o Junior Barranquilla, na Colômbia, por uma vaga na decisão da Copa Sul-Americana. Em Belo Horizonte, a milhares de quilômetros, Atlético e América estarão atentos aos confrontos, que podem influenciar o planejamento para 2018. Galo e Coelho torcerão por cenários contrários.


Em décimo no Campeonato Brasileiro, o Atlético ainda sonha com uma vaga na Libertadores. Para isso, mantido o G7, precisará bater o Grêmio, no Horto, no domingo, e torcer por três dos seguintes cenários: derrota do Flamengo para o Vitória, no máximo empate do Vasco ante a Ponte Preta, bem como da Chapecoense ante o Coritiba, e no máximo dois pontos do Botafogo contra Palmeiras e Cruzeiro - em caso de dois empates, terá de tirar a desvantagem de três gols no saldo diante do tricolor gaúcho.

Otero: destaque contra o Corinthians
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

A missão Libertadores será facilitada se os comandados de Renato Gaúcho conquistarem o tri. Neste caso, será aberta mais uma vaga, e o time alvinegro precisará somar três pontos e torcer por dois desses cenários. Paralelamente, há possibilidade de o nono colocado ganhar uma vaga na principal competição continental dez dias após o fim do Brasileirão: com o Flamengo sendo campeão da Copa Sul-Americana. Por G9, o Galo dependeria de vitória diante do Grêmio e tropeço de apenas um dos oponentes.

Coelho contra G9 por vaga direta

Bi da Série B com direito a recorde de público na Arena Independência no último sábado, o América torce contra G9. Isso porque, a princípio, o Coelho ingressará na Copa do Brasil nas oitavas de final, a exemplo dos classificados à Libertadores e dos ganhadores das copas do Nordeste e Verde. Conforme o artigo 4º, parágrafo 6º, do regulamento da divisão de acesso, no entanto, a vaga direta será perdida caso os campeões da Libertadores e também da Copa Sul-Americana desta temporada sejam brasileiros.

Rafael Lima: herói do título do América
(Créditos: Cristiane Mattos/América/Reprodução)

Com 20 participações na Copa do Brasil, o alviverde fez sua melhor campanha em 1998, chegando justamente às oitavas de final. Igualar o recorde por meio da vaga direita também significaria evitar confrontos decisivos logo no início da temporada: a primeira fase será disputada entre 31 de janeiro e 07 de fevereiro, enquanto as oitavas de final se estenderão de 25 de abril a 23 de maio. Na próxima temporada, a competição pagará valores recordes. Neste ano, a cota da fase, a quinta, foi de R$ 1,05 milhão.

26/11/2017

Lateral da Tríplice Coroa volta a Minas Gerais

Vinícius Dias

Campeão da Tríplice Coroa pelo Cruzeiro em 2003, Leandro Silva está de volta ao futebol mineiro. Desta vez, fora dos gramados: o ex-lateral-esquerdo é o novo diretor de futebol do América de Teófilo Otoni. 11º colocado do Campeonato Mineiro deste ano, o Dragão do Corcovado foi rebaixado para o módulo II, que começará no dia 17 de fevereiro.

Leandro Silva já esteve em Teófilo Otoni
(Créditos: América de Teófilo Otoni/Divulgação)

O elenco do América de Teófilo Otoni para 2018 será montado em parceria com os investidores Márcio Rocha e Regis Papalino, que se reuniram com a diretoria e o treinador Júnior Barata na quinta-feira. Esta será a primeira oportunidade de Leandro Silva como dirigente. Como lateral-esquerdo, seu último clube foi o São Paulo, de Macapá, em 2016.

Pantera se prepara para 2018

Com dez pratas da casa, o Democrata de Governador Valadares inicia os trabalhos nesta segunda-feira. O lateral-direito Alan Silva volta ao clube, que terá reforços como os meias Ramon, ex-Atlético e Corinthians, e Guilherme, ex-Democrata de Sete Lagoas, e o atacante Patrick, ex-Joinville. A estreia será no dia 17 de janeiro, em casa, contra a Caldense.

25/11/2017

O Atlético entre a Libertadores e o vexame

Alisson Millo*

Recentemente, em uma conversa com um amigo, ele me perguntou se eu estava otimista para a vaga na Libertadores do ano que vem. De imediato, minha resposta foi sim. Nem tanto pelo 'eu acredito', mas por acreditar que Corinthians e Grêmio estariam na ressaca do título e isso tornaria os jogos menos complicados para o Atlético. Daquela conversa até este texto, algum tempo passou e veio uma dúvida à mente: neste ano, quando foi que um jogo considerado fácil foi, de fato, fácil para o Atlético?


A verdade é que o Galo conseguiu complicar algumas partidas de forma surpreendente. Não preciso ir muito longe. Basta pegar o duelo contra o já rebaixado Atlético/GO, em casa: um 3 a 2 suado, de virada, depois de o Dragão abrir 2 a 1. Mas o que mais vem à memória é o empate contra o Jorge Wilstermann, no Mineirão lotado, nas oitavas da Libertadores. Um adversário de pouco brilho até no campeonato boliviano conseguiu segurar um dos elencos mais caros da América do Sul. E olha que a gente só precisava de um gol para tirar a vantagem e levar para os pênaltis.

Elias: símbolo da frustração alvinegra
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Bom seria se esse vexame tivesse sido o único do ano. Foi o pior, ok, mas foram tantos que, de certa forma, o feito de perder para um time que levou oito do River Plate foi amenizado. Derrotas patéticas no Brasileirão, principalmente em casa, uma eliminação na Copa do Brasil indo com a vantagem para o jogo da volta e o vice na Copa da Primeira Liga diante do Londrina, que sequer chega à rodada final da Série B com chances de acesso. A reação dá esperança, mas não pode esconder o ano horrível que tivemos. Mesmo porque até outro dia o rebaixamento era uma ameaça real.

Da confiança à falta de mérito

No início da temporada, antes de a bola rolar, a confiança estava em alta. Bastou que isso acontecesse e ela foi diminuindo a ponto de hoje eu achar que, caso a vaga para a Libertadores venha, será motivo muito mais de agradecimento aos deuses do futebol do que sinal de mérito e planejamento. Isso porque, ao longo da competição, o elenco pouco fez por merecer essa conquista. E fato é que, com ou sem a vaga, a preparação para 2018 deve ser bem melhor que a deste ano. A cota de vexames foi estourada em 2017. A massa atleticana torce por isso, pelo menos.

*Jornalista. Corneteiro confesso e atleticano desde 1994.
Goleiro titular e atual capitão da seção Fala, Atleticano!

24/11/2017

Incerteza na eleição do Conselho do Cruzeiro

Vinícius Dias

Mesmo com o prazo de registro de chapas encerrado há quatro dias, os rumos da eleição de associados conselheiros do Cruzeiro para o triênio 2018/2020 são incertos. Isso porque as chapas Somos todos Cruzeiro - fruto da aliança entre Zezé Perrella e o presidente eleito Wagner Pires - e Pelo Cruzeiro Tudo, Do Cruzeiro Nada - articulada por aliados de Gilvan de Pinho Tavares e de José Francisco Lemos, atual primeiro vice - têm nomes em comum. O pleito será realizado no dia 02 de dezembro, das 9h às 15h.

Ex-vice, Vicintin pode deixar Conselho
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

O presidente do Conselho Deliberativo emitiu parecer sobre o assunto nessa quinta-feira. No documento, ao qual o Blog Toque Di Letra teve acesso, João Carlos Gontijo de Amorim cita "a presença de inscrições em duplicidade", constatando que as fichas de inscrição dos candidatos da chapa Somos todos Cruzeiro expressam renúncia "do direito de concorrerem em outra chapa, senão esta". Diante disso, considera "sem efeito os correspondentes registros" na chapa Pelo Cruzeiro Tudo, Do Cruzeiro Nada.

Incerteza para aliados de Gilvan

Expoentes do Conselho estimam que haja mais de 150 casos de duplicidade. No parecer, sem detalhar números, Amorim afirma que as chapas devem ser notificadas visando à substituição dos candidatos "em particular aqueles inscritos na chapa Pelo Cruzeiro Tudo, Do Cruzeiro Nada", sob pena de indeferimento. Caso seja eleita a chapa Somos todos Cruzeiro, nomes como o ex-vice de futebol Bruno Vicintin e Antônio Assunção, atual superintendente da base, deixarão o Conselho no próximo triênio.


17 de 21 campeões têm vínculo com clube por pelo menos mais um
semestre; herói, goleiro Vitor está assegurado até o início de 2019

Vinícius Dias

"O fim do meu segundo mandato não poderia ser mais emocionante com a conquista de outro grande título", destacou o presidente Gilvan de Pinho Tavares, na noite dessa quinta-feira. Mais do que o título da Supercopa sub-20, a vitória sobre o Atlético por 4 a 2, nos pênaltis, deu ao Cruzeiro a vaga na Copa Libertadores sub-20 de 2018. Na competição sul-americana, a comissão técnica da Raposa poderá contar com a maior parte dos nomes do elenco campeão na Arena Independência.

Clássico valeu título e vaga na Libertadores
(Créditos: Yuri Edmundo/Light Press/Cruzeiro)

O Blog Toque Di Letra, em parceria com o portal Rede do Futebol, fez um levantamento da situação contratual dos comandados de Émerson Ávila. Três estão emprestados ao Cruzeiro: os meio-campistas Vander, do Tombense, Nickson, do Vitória, e Eduardo, irmão do lateral-direito Ezequiel, que pertence ao Criciúma. Dos 21 relacionados para os confrontos da Supercopa sub-20, 17 têm vínculo com o clube celeste por pelo menos mais um semestre e 16 têm, no mínimo, mais uma temporada na base.

Goleiros:
Vitor Eudes - janeiro de 2019
Gabriel Brazão - outubro de 2019

Laterais-direitos:
Lucas Soares - dezembro de 2018
Vitinho - agosto de 2018

Zagueiros:
Cacá - dezembro de 2019
Gustavo Rissi - junho de 2018
Patrick** - dezembro de 2017
Ronaldo - dezembro de 2019

Laterais-esquerdos:
Victor Luiz** - dezembro de 2019
Raphinha - dezembro de 2019

Volantes:
Vander* - junho de 2018
Eduardo* **- dezembro de 2017
Márcio - dezembro de 2018
Zé Gabriel - abril de 2018

Meias:
Thonny Anderson** - dezembro de 2018
Nickson* ** - dezembro de 2017
Cesinha - outubro de 2019

Atacantes:
Marcelo - março de 2019
Bruno Ribeiro - janeiro de 2019
João Luiz - novembro de 2019
João Diogo - dezembro de 2019

*Atletas emprestados ao Cruzeiro
**Última temporada no time sub-20

23/11/2017

Atlético mira recorde na Arena Corinthians

Vinícius Dias

Oitavo colocado do Campeonato Brasileiro, o Atlético voltará a campo diante do campeão Corinthians, no próximo domingo. Além da classificação à Libertadores - conforme projeção do Departamento de Matemática da UFMG, o time de Oswaldo de Oliveira tem 15,9% de chances -, estará em jogo um recorde na competição. Caso pontue na Arena Corinthians, o alvinegro fará sua melhor campanha fora de casa nos pontos corridos.


Neste formato, o melhor aproveitamento do Atlético como visitante foi registrado na edição de 2015, com oito vitórias, sete empates e quatro derrotas, somando 28 pontos - mesma pontuação de 2003, ano em que disputou 23 rodadas fora de seus domínios, no entanto. O pior desempenho remonta a 2011. Com três triunfos, três empates e 13 reveses, a equipe conquistou apenas 12 dos 57 pontos possíveis.

Atlético vem de empate ante o Vasco
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Dono da terceira melhor campanha fora de casa, com 28 pontos em 18 partidas, o Galo enfrentará justamente o melhor mandante da competição. O discurso, embora o Timão já tenha garantido o título, é de concentração. "A partida contra o Corinthians vai ser ainda mais difícil. O Corinthians já é campeão, mas será um jogo bastante difícil para nós, porque precisamos dessa vaga para a Libertadores", destacou o meia Otero.

Campanhas como visitante - pontos corridos:

2003 - 6 vitórias, 10 empates, 7 derrotas / 28 pontos / 40,6%
2004 - 3 vitórias, 8 empates, 12 derrotas / 17 pontos / 24,6%
2005 - 7 vitórias, 4 empates, 10 derrotas / 25 pontos / 39,7%
2007 - 6 vitórias, 5 empates, 8 derrotas / 23 pontos / 40,4%
2008 - 3 vitórias, 4 empates, 12 derrotas / 13 pontos / 22,8%
2009 - 7 vitórias, 3 empates, 9 derrotas / 24 pontos / 42,1%
2010 - 4 vitórias, 5 empates, 10 derrotas / 17 pontos / 29,8%
2011 - 3 vitórias, 3 empates, 13 derrotas / 12 pontos / 21,1%
2012 - 6 vitórias, 7 empates, 6 derrotas / 25 pontos / 43,9%
2013 - 2 vitórias, 7 empates, 10 derrotas / 13 pontos / 22,8%
2014 - 5 vitórias, 6 empates, 8 derrotas / 21 pontos / 36,8%
2015 - 8 vitórias, 4 empates, 7 derrotas / 28 pontos / 49,1%
2016 - 4 vitórias, 8 empates, 7 derrotas / 20 pontos / 35,1%
2017 - 7 vitórias, 7 empates, 4 derrotas / 28 pontos / 51,9%

22/11/2017

Sósia será garoto-propaganda de jogo de R10

Vinícius Dias

O 'Game Of Dreams' terá um garoto-propaganda bem parecido com Ronaldinho Gaúcho, a principal estrela que entrará em campo no dia 08 de dezembro, às 16h, no Mineirão. A tarefa caberá a José Róbson Batista de Oliveira, sósia do camisa 10. Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, o alagoano participará de ações em eventos prévios e também de atividades no dia do amistoso organizado pela Prevenir Preservar.


Consultado nesta manhã, o presidente da organização social, Lancaster Fernandes, confirmou a informação. A expectativa, inclusive, é de que o sósia de Ronaldinho compareça ao Mineirão em entrevista coletiva convocada para esta quinta-feira. O meia-atacante Luan, do Atlético, que defenderá o time Amigos do Ronaldinho, e o goleiro Rafael, do Cruzeiro, dos Amigos do Penta, participarão da conversa com a imprensa.

Haverá ação ligada ao futebol americano
(Créditos: Arquivo Pessoal/Róbson Oliveira)

A ideia dos organizadores é de que o 'Game Of Dreams' seja evento fixo no calendário anual de Belo Horizonte. Esta edição faz parte das comemorações dos 120 anos da capital e dos 15 anos do penta. Nomes como Denílson, Edilson, Vampeta, Marcelo Moreno, Edmilson e Luisão entrarão em campo. Doando um quilo de alimento não perecível, que será destinado a entidades filantrópicas, o torcedor tem direito à meia-entrada.

'Game Of Dreams' - preços dos ingressos:

Portão C - Amarelo superior - R$ 100 (inteira) / R$ 50 (meia)
Portão F - Laranja superior - R$ 100 (inteira) / R$ 50 (meia)
Portão D - Vermelho superior - R$ 120 (inteira) / R$ 60 (meia)

Dirigentes do América na CBF por arbitragem

Vinícius Dias

Na liderança do Campeonato Brasileiro da Série B, com 70 pontos, dois à frente do Internacional, o América precisa de uma vitória simples sobre o CRB, no próximo sábado, às 17h30, para conquistar o bicampeonato. Apesar disso, a arbitragem para o confronto na Arena Independência é motivo de preocupação nos bastidores alviverdes.

Salum e Alencar: visita à CBF nessa 3ª
(Créditos: Alencar da Silveira Jr./Divulgação)

Nessa terça-feira, o presidente Alencar da Silveira Júnior e Marcus Salum estiveram na sede da CBF, no Rio de Janeiro. Os dirigentes do Coelho se reuniram com o presidente da entidade, Marco Polo Del Nero. "(O assunto foi a) arbitragem do jogo. Pedir a que tiver de melhor", destacou Salum, em rápido contato com o Blog Toque Di Letra.

Pleito marcado para quinta-feira

Personagem histórico da política do América, o engenheiro integra a chapa única na disputa pelo Conselho de Administração para o triênio 2018/2020. Os demais nomes são Marco Antônio Batista, Anderson Racilan, Dower Araújo e Fabiano Jardim. Após dois mandatos, Alencar da Silveira Júnior deixará o cargo. As eleições acontecerão nesta quinta-feira.

21/11/2017

Thiago Neves bate metas e receberá bônus

Vinícius Dias

Cobrador do pênalti que deu ao Cruzeiro o penta da Copa do Brasil, Thiago Neves confirmou dentro de campo o status de principal reforço para esta temporada. Mais do que isso: com 55 partidas disputadas - 51 como titular - pelo clube celeste, nas quais somou 16 gols e 14 assistências, superou as metas definidas na assinatura do contrato. A participação ativa garantiu ao meia bônus que será pago durante o próximo ano.

Thiago Neves atuou 55 vezes neste ano
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

As metas, conforme o Blog Toque Di Letra apurou, foram alternativa proposta pela diretoria diante da diferença entre a pedida inicial do staff, ainda durante o litígio com o Al-Jazira, dos Emirados Árabes, e a oferta da Raposa. "Além disso, depois de alguns grandes investimentos que acabaram participando de poucos jogos, havia o receio do Gilvan em relação a essa questão", revelou uma fonte ligada ao presidente.

Artilheiro e garçom na Série A

Com a meta de atuações prevista em contrato batida há mais de um mês, o camisa 30 terá mais duas rodadas do Brasileirão para perseguir a expectativa pessoal, traçada antes da estreia, de 20 gols e 15 assistências no ano. Thiago Neves é o goleador - dez tentos - e líder de assistências - sete - do Cruzeiro na competição. Com vínculo até dezembro de 2019, voltará a receber bônus no último ano caso também atinja as metas em 2018.

20/11/2017

Marlone perto de se despedir do Atlético

Vinícius Dias

Com menos de 30 minutos em campo na era Oswaldo de Oliveira, Marlone já ensaia a despedida do Atlético. Vinculado ao Corinthians até o fim de 2019, o camisa 92 está emprestado até dezembro ao clube mineiro, que tem opção de compra de um percentual dos direitos econômicos. O Galo, no entanto, dificilmente fará o investimento. Com isso, a princípio, o meia-atacante retornará ao Parque São Jorge na próxima temporada.


Marlone chegou ao Atlético em março, após negociação frustrada no fim de 2016. Pelo clube, disputou apenas 19 jogos - 13 deles com Roger Machado, maior entusiasta de sua contratação, que acabou demitido em julho. "Ele, de fato, atuou pouco. Mas o Galo tem estrutura de primeiro mundo, salários em dia, um grupo que se dá muito bem, enfim, não há do que reclamar", disse ao Blog Toque Di Letra uma fonte ligada ao atleta.

Marlone marcou três gols pelo Atlético
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Nos bastidores, a única ponderação é de que uma transferência durante a temporada deveria ter sido mais bem planejada. O fato de ter chegado após o fim das inscrições para a fase de grupos da Libertadores e já tendo atuado na Copa do Brasil pelo Corinthians, por exemplo, dificultou a sonhada sequência. Em oito meses, foram apenas cinco jogos completos e raros minutos ao lado do amigo Fred, artilheiro alvinegro em 2017, com 28 gols.

Mudanças no staff recentemente

Depois de duas trocas no staff ao longo deste ano, Marlone está atualmente sem empresário. Formado nas categorias de base do Vasco, o meia-atacante também defendeu Cruzeiro, Fluminense e Sport.

19/11/2017


Treinador se reúne com a diretoria nesta 2ª para discutir busca por
reforços; à espera de empresário, clube tem estratégia por Hudson

Vinícius Dias

Concretizada pelo presidente Gilvan de Pinho Tavares, a venda do lateral-esquerdo Diogo Barbosa ao Palmeiras marcou o primeiro capítulo da janela de transferências no Cruzeiro. Nos próximos dias, já com a participação da nova diretoria, o clube celeste começará a costurar outras importantes decisões visando à próxima temporada. Um dos temas em pauta será justamente a contratação de uma nova peça para o setor.


Nesta segunda-feira, dia sem atividades na Toca da Raposa II, está agendada reunião com Mano Menezes para discutir nomes e detalhes da busca por reforços. Entre as opções que serão avaliadas pelo treinador estará Egídio, bicampeão brasileiro com a camisa estrelada em 2013 e 2014. O lateral-esquerdo, de 31 anos, deve deixar o Palmeiras ao fim do contrato, em dezembro, e foi oferecido ao Cruzeiro para 2018.

Clube mira lateral e quer manter volante
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Prioridade celeste, as negociações visando à permanência de Hudson também devem ter novidades nesta semana. O agente do volante, Luciano Couto, tem chegada ao Brasil prevista para terça-feira. Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, a estratégia traçada é apresentar um projeto atraente no primeiro contato e, a partir daí, tê-lo como aliado nas tratativas com o São Paulo, clube ao qual o camisa 25 está vinculado até o fim de 2019.

Troca por argentino descartada

Hudson está emprestado até 31 de dezembro ao Cruzeiro, com opção de compra de 50% dos direitos econômicos. A Raposa, que teria de desembolsar mais de R$ 5 milhões para acionar a cláusula, estuda alternativas para minimizar o valor do investimento. O argentino Ariel Cabral chegou a ter o nome exaltado nos bastidores do tricolor paulista, mas os mineiros descartam a possibilidade de envolvê-lo nas negociações.

18/11/2017

Respeito é bom e a torcida do Cruzeiro exige!

Douglas Zimmer*

Salve, China Azul!

Estão nos devendo explicações. O Cruzeiro precisa decidir de que lado está: se está do lado de sua história vitoriosa ou de trajetórias pessoais. Quando menciono o nome do clube, me refiro às pessoas que respondem por ele e, em última análise, ocupam, ocuparam ou ocuparão os mais altos postos da diretoria celeste. O torcedor, ao contrário do que indicam os bons modos com o maior interessado nos assuntos inerentes ao clube, é quase sempre o último a saber e, normalmente, fica sabendo dos fatos por terceiros.


Bem, vamos lá! O assunto mais comentado nos últimos dias e, agora oficializado, foi a repentina venda de Diogo Barbosa ao Palmeiras. Quem me acompanha sabe que não sou de idolatrar jogadores, muito menos colocá-los acima dos interesses do clube. Entretanto, o mais inquietante nesse imbróglio todo foi a falta de transparência, principalmente, com a torcida. Primeiro foi o jogador desabafando ao vivo depois da vitória diante do Fluminense. Depois, Mano Menezes dizendo que não havia problema no caso. Por último, mas não menos importante, as especulações começaram a aparecer e, em questão de dias, Barbosa já é reforço anunciado pelo alviverde paulista.

Diogo Barbosa: de titular a ex-Cruzeiro
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Tudo bem. Vendas acontecem. O cenário praticamente exige isso. Mas por que agora? Por que reforçar um rival direto na briga pelas principais competições do ano que vem? Como as finanças de um clube que foi recentemente bicampeão brasileiro - e negociou os protagonistas - chegam ao cúmulo de gerar atrasos? São muitas as perguntas. Poucas - e evasivas - as respostas. A direção que vai deixar o clube ao fim do ano diz que o investimento valeu a pena, tendo em vista os títulos conquistados, e que vai fazer o que for preciso para honrar seus compromissos antes de deixar o posto. Quem está em vias de assumir fala pouco porque alega que até agora quem está à frente das tratativas é a atual gestão.

O nome do Cruzeiro está em jogo

Mas, afinal de contas, não há diálogo no Cruzeiro? Que a torcida recebe pouca ou quase nenhuma satisfação do que é feito com o dinheiro do clube, isso não é novidade. Mas me espanta o fato de que a chapa vencedora da eleição para tomar conta de um dos maiores clubes do Brasil e o pessoal que está deixando tais cargos simplesmente não tenham conversado para tentar fazer um balanço da gestão que se vai e planejar a que está chegando. É o nome do Cruzeiro que está em jogo, não importa se quem vai assumir é da situação, da oposição ou se é absolutamente centrista. O que importa é que o Cruzeiro Esporte Clube seja sempre o maior beneficiado por qualquer decisão.

Diretoria deixará dívidas e ações na Fifa
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Eu não entendo nada de mercado futebolístico. Nada. Prefiro assim. Deve haver muita coisa que nós, meros torcedores, não sabemos e sequer sonhamos em saber. Mas uma coisa é certa: um clube do tamanho do Cruzeiro não pode ser gerido de qualquer jeito, arriscando a sanidade financeira e, o que é muito pior, a honra construída durante décadas de trabalho árduo. Vocês não fazem ideia de como as notícias sobre dívidas e ações na Fifa me incomodam. Cerca de R$ 50 milhões. Atletas que nunca jogaram e que nunca vão jogar pelo Maior de Minas gerando dívidas estratosféricas. É um absurdo.

Enfim, gosto de sentar e escrever sobre futebol. Sobre jogadores, jogadas, vitórias, reclamar de derrotas e empates, etc. Mas não tenho conseguido nem me concentrar nos jogos. Esse caos nos bastidores está me deixando muito preocupado. Espero que realmente seja exagero meu, como já me sugeriram alguns. Torço para que, antes tarde do que nunca, as cabeças pensantes do Cruzeiro se reúnam e entrem em consenso em prol da instituição. Deixem clubismo, paixão e coração para a torcida. Não esqueçam contratos em lugar algum. Planejem o futuro. Ah… e, se der, tentem nos avisar sobre qualquer problema antes que fiquemos sabendo pelos outros.

Força, Cruzeiro!

*Gaúcho, apaixonado pelo Cruzeiro desde junho de 1986.
@pqnofx, dono da camisa 10 da seção Fala, Cruzeirense!