31/12/2018

Chape desiste de Fabrício Bruno, do Cruzeiro

Vinícius Dias

A três dias da reapresentação do elenco do Cruzeiro, Fabrício Bruno segue com o futuro indefinido. E, a princípio, com menos uma opção à vista. Sem resposta do clube celeste, a diretoria da Chapecoense desistiu de prosseguir em negociações em busca de um novo empréstimo do zagueiro, que defendeu o Verdão do Oeste nas últimas duas temporadas.

Fabrício fez 60 jogos pela Chape
(Créditos: Sirli Freitas/Chapecoense)

"O Cruzeiro não respondeu. Descartamos", antecipou o diretor de futebol Newton Drummond ao Blog Toque Di Letra. Conforme a reportagem apurou, o prazo fixado pelo clube catarinense se encerrou nesse domingo. Após se reunir com o staff do zagueiro no dia 24, a expectativa era de que a cúpula celeste se manifestasse até a última sexta-feira.

Saída de Murilo valeria retorno

Com contrato até dezembro de 2020, Fabrício Bruno trata como prioridade o retorno à Toca II, que chegou a ser dado como certo em meio à iminente transferência de Murilo para o Grêmio. Nos últimos dias, no entanto, as negociações esfriaram, reafirmando o clima de indefinição. Prata da casa, o zagueiro tem apenas oito jogos com a camisa celeste.

30/12/2018

Atlético: 2018 provou que nosso time é imortal

Alisson Millo*

Última edição do Fala, Atleticano nesta temporada. E como não podia deixar de ser, um muito obrigado a você, leitor, pela companhia e pelo feedback ao longo de 2018. Ao Galo, bom, os agradecimentos são um pouco mais limitados, até porque as razões para agradecer são igualmente mais escassas. Mas o espírito festivo que acompanha o fim de dezembro permite uma boa vontade um pouco maior, então vamos lá.


Obrigado, Thiago Larghi. Você saiu em baixa, com a torcida pegando no seu pé e te chamando de estagiário. Ainda assim, pegar a bomba-relógio que era o Atlético no começo deste ano era uma tarefa das mais difíceis, e alguém sem nenhuma experiência assumiu essa bronca e fez com que o time, pelo menos por algumas rodadas, navegasse por águas calmas.

No fim, a torcida alvinegra festejou
(Créditos: Pedro Souza/Atlético-MG)

Obrigado, Roger Guedes. Nunca critiquei. A birrinha que você fez ao ser substituído? Não lembro. Aquele passe de calcanhar contra o Vasco na primeira rodada? Passado. Mesmo jogando apenas seis meses, foi um dos destaques do Galo no ano, responsável pela maioria das estatísticas positivas do ataque, além de render um bom e inesperado dinheiro ao caixa. Ainda bem que não quisemos que você fosse defenestrado no início.

De Oswaldo a Levir: obrigado!

Obrigado, Oswaldo de Oliveira, Arouca e Samuel Xavier. Inesperado? Com certeza. Mas o agradecimento vem pelas transferências antes do término da temporada. Nesse espírito, um agradecimento também a Erik. O atacante durou um pouco mais do que os três citados anteriormente, não se destacou, mas pelo menos nunca deixou de se entregar. Uma pena que faltava um pouco de brilhantismo - ou de qualidade.

Com Levir, Galo volta à Libertadores
(Créditos: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Obrigado, Levir Culpi. Obrigado por voltar a sua casa, mesmo que os moradores tenham, erroneamente, te expulsado da última vez que você esteve por aqui. Já que tocamos no assunto, desculpe-nos por isso também. Não vai se repetir - bom, mais cedo ou mais tarde vai, mas torcemos para que não. Burro foram aqueles que pediram sua saída e sorte temos nós por você ter aceitado assumir novamente o Atlético.

Heróis que não convenceram

Em um pacotão, agradecimentos mais singelos a Emerson, Zé Welison, Ricardo Oliveira, Maidana e Terans. Nenhum desses é unanimidade, mas todos contribuíram. O lateral-direito não é um primor técnico, mas nunca se escondeu do jogo. O volante chegou com desconfiança, muito por causa do nome, é verdade, mas foi uma das gratas surpresas do ano. O pastor, ainda que vovô e em má fase no fim, foi o artilheiro da temporada. O zagueiro demorou a engrenar, mas foi bem e ganhou a vaga no time titular. Terans fez o gol da vitória contra o Internacional lá em Porto Alegre, apenas, mas tire esses pontos para ver o nosso desespero.

Terans fez gol decisivo no Beira-Rio
(Créditos: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Por fim, mas não menos importante, obrigado, Cazares. Dormiu em boa parte do ano, é verdade, mas quando acordou mostrou porque é o 10. Fez gols importantes, deu assistências e foi o melhor jogador do time nos momentos decisivos. Atuando como segundo atacante foi muito mais útil do que como armador, buscando a bola na defesa. Em 2019, vamos precisar muito de sua genialidade, então, por favor, mantenha-se acordado.

Quem também merece menção, mas sem agradecimentos, é a diretoria. Seja presidente, seja ex-diretor, seja quem for, errou-se muito, gastou-se o dinheiro que não tinha, sem que o elenco ganhasse tanto em qualidade. Mas são águas passadas - pelo menos assim a gente torce -, seguimos em frente, provando que nosso time é imortal, e ano que vem vai ser melhor. Precisa ser. O Danubio é logo ali, já bastam Jorge Wilstermann, San Lorenzo e Chapecoense de vergonhas e eliminações recentes.

*Jornalista. Corneteiro confesso e atleticano desde 1994.
@amillo01 no Twitter, capitão da seção Fala, Atleticano!

28/12/2018

Galo faz consulta por Pedro Rocha, ex-Grêmio

Vinícius Dias

Depois de oficializar o retorno do zagueiro Réver, capitão na conquista da Copa Libertadores, em 2013, e a contratação do lateral-direito Guga junto ao Avaí, o Atlético segue em busca de reforços para a próxima temporada. Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, o principal alvo para o setor ofensivo é o ex-gremista Pedro Rocha.

Atacante foi algoz do Atlético em 2016
(Créditos: Lucas Uebel/Grêmio FBPA)

Emissários ligados ao alvinegro fizeram uma consulta ao staff do atacante nas últimas horas, sinalizando o desejo do clube em formalizar uma investida. O nome, colocado em pauta pela diretoria, é bem avaliado pela comissão técnica. Atualmente na reserva, Pedro Rocha tem contrato com o Spartak Moscou, da Rússia, até junho de 2021.

Sete jogos, nenhum gol no ano

O atacante, de 24 anos, deixou o Grêmio no segundo semestre de 2017, em uma das maiores vendas da história do clube gaúcho - cerca de € 12 milhões. Pedro Rocha, que recentemente também foi alvo do rival Cruzeiro, soma 17 jogos e apenas um gol no clube russo. Ainda assim, nos bastidores, o retorno ao Brasil é avaliado como "operação complexa".

24/12/2018

Cruzeiro: foi bom, mas poderia ter sido melhor

Douglas Zimmer*

Salve, China Azul!

Chega ao fim mais um ano bem-sucedido, com títulos conquistados e com a promessa de uma nova temporada que trará muitos desafios para a Raposa. Mas, caro leitor, o que será que deu errado no ano cruzeirense? Sim, isso mesmo! Todos já falaram bastante sobre as conquistas, sobre as peças que se destacaram, sobre os pontos positivos do período que se encerra, mas onde foi que o Cruzeiro falhou? Poderia o time celeste ter ido ainda melhor nas competições que disputou? Vejamos.


Para começo de história, esta breve análise não tem como objetivo desmerecer as conquistas de 2018. Pelo contrário: a ideia é entender os motivos pelos quais a equipe não teve ainda mais êxitos. Em primeiro lugar, enumero aqueles problemas que afligem todas as agremiações: o calendário mal distribuído e que pune as equipes que se destacam; lesões; suspensões e a parada para a Copa, que, embora teoricamente seja uma intertemporada, quebra o ritmo. Essas situações, como eu citei, acometem todos os times. Entretanto, no caso do Cruzeiro, que seguiu vivo em várias competições até o fim da temporada, o efeito foi bastante sentido.

Mano Menezes: bi da Copa do Brasil
(Créditos: Vinnicius Silva/Cruzeiro E.C.)

E é aí que acredito que resida o principal problema do Cruzeiro. O calendário apertado e suas consequências apenas expuseram as limitações, digamos assim, do grupo de jogadores que Mano Menezes tem à disposição. A realidade financeira do futebol brasileiro não permite mais loucuras e caprichos, salvo casos pontuais. Será preciso muito jogo de cintura e inteligência por parte da diretoria para reforçar o plantel sem que o caixa sofra. Fato é que quase sempre que o Cruzeiro precisou abrir mão dos titulares absolutos os resultados deixaram a desejar.

O ano do Brasileirão esquecido

Os motivos pelos quais o Cruzeiro não ganhou tudo o que disputou são vários. Não seria certo apontar apenas uma causa, atleta, erro de arbitragem ou situação extracampo para justificar os reveses. Na Libertadores, por exemplo, tivemos aquele confronto absolutamente confuso e nervoso contra o Boca Juniors, que poderia ter outro fim caso não tivéssemos voltado da Argentina com dois gols negativos de saldo. Já no Brasileirão, o principal 'culpado' pelo desinteresse no certame foi o envolvimento da Raposa nas outras frentes de batalha em que os títulos eram mais palpáveis.

Cruzeiro tropeçou no lanterna Paraná
(Créditos: Vinnicius Silva/Cruzeiro E.C.)

Contra oito últimos colocados - todos com 45 pontos ou menos -, deixamos 23 pontos pelo caminho: tivemos míseros 57% de aproveitamento contra os oito piores times do campeonato. O panorama fica ainda mais preocupante se olharmos para o topo. Contra times do G4, foram apenas seis pontos conquistados dos 24 possíveis: exatos 25% de sucesso. Números que não condizem com a grandeza e com a qualidade da equipe. Um grupo mais forte, equilibrado e com mais opções de reposição para as adversidades que a temporada impõe poderia mudar esse cenário.

O aproveitamento em confrontos diretos ficou muito abaixo do esperado. Para se ter uma ideia, só vencemos dois times tanto no turno quanto no returno: América e Santos. Dos 19 adversários, sete passaram incólumes pelos duelos com o Cruzeiro. Destes, dois nos venceram nos dois jogos, contra três somamos apenas um ponto e contra outros dois empatamos em ambos os turnos. Sei que vencer tudo e todos é algo utópico, especialmente no futebol brasileiro, sempre tão competitivo e disputado. Mas tenho certeza de que, com alguns ajustes não só de nomes, mas de postura e de disposição, poderemos ter mais protagonismo no ano que nos espera.

Força, Cruzeiro!

*Gaúcho, apaixonado pelo Cruzeiro desde junho de 1986.
@pqnofx, dono da camisa 10 da seção Fala, Cruzeirense!

21/12/2018

Cruzeiro estuda reintegração de Fabrício Bruno

Vinícius Dias*

Após duas temporadas emprestado à Chapecoense, Fabrício Bruno pode ter uma nova chance no Cruzeiro. Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, a expectativa é de que a situação do zagueiro seja definida ainda neste ano. A cúpula celeste deve se reunir neste sábado com o prata da casa e seu agente, Fábio Mello, para tratar da possível reintegração.

Zagueiro tem oito jogos pela Raposa
(Créditos: Sirli Freitas/Chapecoense)

Fabrício Bruno fez 60 jogos e dois gols pela Chapecoense. Neste ano, depois de sete meses no DM, o camisa 14 voltou aos gramados em outubro e terminou o Brasileirão como titular. Além de Chape, que sonha com o reemprestimo, e Vitória e mais quatro clubes têm interesse no zagueiro, que tem contrato com a Raposa até dezembro de 2020.

Dupla pode deixar a Toca II

A possibilidade de reintegração do prata da casa, de 22 anos, ganhou força nos bastidores celestes em meio à incerteza sobre o futuro de Manoel, cujo nome é analisado pelo Flamengo, e Murilo, que pode ser envolvido em negociação com o Grêmio. Para o setor, Mano Menezes ainda conta com o recém-promovido Cacá e os titulares Dedé e Léo.

*Atualizada às 21h20

19/12/2018

Cruzeiro avalia Vergara, revelação colombiana

Vinícius Dias

Em busca de um atacante de velocidade, o Cruzeiro monitora alternativas no mercado enquanto a situação do santista Bruno Henrique, tratado como alvo prioritário, segue indefinida. Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, um dos nomes avaliados é o do colombiano Duván Vergara. O jogador, de 22 anos, está no Envigado, clube da elite local.

Vergara: seis gols em 33 jogos no ano
(Créditos: Envigado FC/Facebook/Reprodução)

Autor de seis gols em 33 partidas nesta temporada, o velocista colombiano esteve nos planos de Santos e Corinthians - com quem chegou a ter negociações adiantadas - na última janela de transferências. Vergara é apontado como uma das maiores revelações do Envigado desde James Rodríguez, meia do Bayern de Munique e da seleção.

Clube planeja vender percentual

Atualmente, o elenco do Cruzeiro conta com cinco estrangeiros, limite por jogo em competições nacionais. Caso nenhum deles deixe a Toca II, portanto, a possível vinda de Vergara obrigaria Mano Menezes a promover revezamento. Desde as primeiras sondagens do futebol brasileiro, a intenção do Evingado é vender um percentual dos direitos do atacante.

18/12/2018

A pedida do goleiro João Ricardo ao América

Vinícius Dias

Um dos grandes ídolos da história do América, João Ricardo deve deixar o clube depois de cinco temporadas. Com contrato vencendo no dia 31 de dezembro, o goleiro iniciou as negociações para renovação com a diretoria alviverde antes mesmo do término do Campeonato Brasileiro. As partes, no entanto, seguem distantes de um denominador comum.

Goleiro tem futuro incerto no Coelho
(Créditos: Mourão Panda/América)

Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, a pedida inicial apresentada pelo staff de João Ricardo ao Coelho é de cerca de R$ 2 milhões por temporada em salários, além de luvas em torno de R$ 1,5 milhão pela assinatura do novo contrato. Os valores são tratados como "fora da realidade" no América, que oferece como diferencial um vínculo por quatro anos.

Estadual e dois acessos no Coelho

No CT Lanna Drumond desde 2014, o camisa 1 participou de grandes momentos do clube, como os acessos à elite em 2015 e 2017 - o mais recente coroado com a conquista do Campeonato Brasileiro da Série B - e o título estadual em 2016. João Ricardo, que é alvo de sondagens de cinco clubes da Série A, já disputou 214 jogos com a camisa alviverde.

16/12/2018

Patric, do Atlético, volta à pauta do São Paulo

Vinícius Dias

Mesmo depois de terminar o ano como reserva de Emerson na Cidade do Galo, Patric segue em alta no mercado. Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, o nome do lateral-direito, de 29 anos, alvo do São Paulo no primeiro semestre, voltou à pauta para a próxima temporada. O camisa 29 tem vínculo com o clube mineiro até dezembro de 2019.

Patric fez apenas dez jogos no semestre
(Créditos: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Patric é uma das opções avaliadas pela cúpula tricolor no mercado para disputar posição com Bruno Peres e com o recém-contratado Igor Vinícius, ex-Ponte Preta. O preferido é Victor Ferraz, do Santos. Desde a transferência de Éder Militão para o Porto, de Portugal, no fim de julho, a lateral-direita é considerada setor carente no elenco são-paulino.

Revelação do Avaí a caminho

Enquanto Patric está na mira do clube do Morumbi, o Atlético negocia a contratação de Guga, de 20 anos, destaque do Avaí na campanha do acesso. O elenco alvinegro ainda conta com Emerson, atual titular, que desperta o interesse de clubes europeus. Nos bastidores, no entanto, a expectativa é de permanência por pelo menos mais um semestre.

14/12/2018

Inter estuda investida por Sóbis, do Cruzeiro

Vinícius Dias

Depois de perder espaço com o técnico Mano Menezes e disputar apenas 13 partidas pelo Cruzeiro neste semestre, marcando um gol, Rafael Sóbis dificilmente permanecerá na Toca da Raposa II em 2018. E uma das possibilidades em pauta é justamente voltar a vestir a camisa do Internacional. De férias em Porto Alegre, o atacante, de 33 anos, teve o nome oferecido ao Colorado por agentes nos últimos dias.

Sóbis foi bi da Copa do Brasil em BH
(Créditos: Vinnicius Silva/Cruzeiro E.C.)

A diretoria gaúcha agora estuda a possibilidade de fazer uma investida. Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, nos bastidores, a expectativa é de resposta até a próxima semana. Em meio a sondagens, o Cruzeiro aguarda propostas oficiais para definir a situação de camisa 7, tido como "importante moeda de troca". Revelado pelo Internacional, Rafael Sóbis foi bicampeão da Libertadores em duas passagens pelo Beira-Rio.

Atleta quer permanecer no Brasil

Alvo constante de sondagens do México, onde defendeu o Tigres entre 2014 e 2016, Rafael Sóbis inicialmente descarta retornar ao exterior. O atacante, que também tem passagens por Espanha e Emirados Árabes, tem contrato até dezembro de 2019 com o Cruzeiro, pelo qual disputou 119 jogos e balançou as redes 28 vezes. O clube celeste ainda deve aos mexicanos parte dos valores da compra, selada em junho de 2016.

13/12/2018

Oferecido ao Cruzeiro, Benedetto é alvo da Itália

Vinícius Dias

Oferecido por agentes a clubes brasileiros, entre eles o Cruzeiro, o atacante Darío Benedetto deve ter como destino o futebol italiano caso realmente opte por deixar o Boca Juniors na próxima temporada. Carrasco do Palmeiras nas semifinais, o argentino, de 28 anos, foi um dos destaques da equipe xeneize no vice-campeonato da Copa Libertadores.

Atacante fez cinco gols na Libertadores
(Créditos: Club Atlético Boca Juniors/Divulgação)

Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, a Inter de Milão, de Itália, sinalizou a possibilidade de fazer uma investida pelo camisa 9 na janela de inverno. Benedetto, que chegou a estar nos planos de Jorge Sampaoli para a Copa do Mundo antes da grave lesão sofrida no fim de 2017, tem contrato até junho de 2021 e multa rescisória na faixa dos € 20 milhões.

Recorde igualado na Libertadores

O atacante, que estreou nesta temporada apenas em agosto, após longo período no DM, igualou uma marca histórica na reta final da Libertadores. Antes de Benedetto fazer cinco gols nos quatro jogos, apenas o paraguaio Raúl Vicente Amarilla, em 1990, pelo Olimpia, havia balançado as redes em todas as partidas das semifinais e finais da competição.

11/12/2018

Vestiário e agentes foram trunfos de Marques

Vinícius Dias

A decisão do presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, de manter Marques como diretor de futebol do Atlético para a próxima temporada foi impulsionada nos bastidores por pelo menos dois motivos. O ex-atacante, inicialmente coordenador das categorias de base, assumiu o cargo de forma interina após a demissão de Alexandre Gallo, em outubro.

Marques segue como diretor do Galo
(Créditos: Pedro Souza/Atlético-MG)

Conforme o Blog Toque Di Letra apurou, pesaram a favor de Marques a boa relação com lideranças do vestiário - o discurso de apresentação se propondo a "comprar o barulho" dos atletas em meio a críticas da torcida, por exemplo, foi muito bem recebido - e a imagem positiva junto a empresários com bom trânsito no Atlético e a agentes de destaques do elenco.

Sucesso em campo, discrição fora

Considerado um dos principais ídolos da história, Marques teve três passagens pelo Galo enquanto jogador entre 1997 e 2010. Campeão da Copa Conmebol de 1997 e tri mineiro, o ex-atacante é o nono maior artilheiro alvinegro, com 133 gols em 386 partidas. Protagonista em campo, o paulista tem adotado estilo discreto fora das quatro linhas.

07/12/2018

Cruzeiro: raio-X da situação contratual do elenco

Vinícius Dias

Campeão mineiro e hexa da Copa do Brasil, o Cruzeiro encerra a temporada vislumbrando sua 17ª participação na Copa Libertadores. Em busca do tri da principal competição sul-americana, a diretoria celeste tem como prioridades no mercado a contratação de dois laterais e de um atacante velocista. O grande trunfo é a manutenção da base: do goleiro Fábio ao centroavante Fred, todos os titulares têm vínculo para 2019.

Clube celeste prepara ajustes no elenco
(Créditos: Vinnicius Silva/Cruzeiro E.C.)

O Blog Toque Di Letra, em parceria com o portal Rede do Futebol, fez um levantamento da situação contratual do elenco cruzeirense. Apenas o lateral-esquerdo reserva Marcelo Hermes, que está fora dos planos do treinador Mano Menezes e será devolvido ao Benfica, de Portugal, terá vínculo encerrado ainda neste ano. Por outro lado, pelo menos oito jogadores que estão emprestados retornam à Toca da Raposa II.

Goleiros:
Fábio - dezembro de 2019
Rafael - dezembro de 2021
Vitor Eudes - setembro de 2022

Laterais-direitos:
Edilson - dezembro de 2020
Ezequiel - julho de 2019

Zagueiros:
Dedé - dezembro de 2021
Léo - dezembro de 2022
Manoel - dezembro de 2020
Murilo - abril de 2021
Cacá - dezembro de 2020

Laterais-esquerdos:
Egídio - dezembro de 2019
Marcelo Hermes* - dezembro de 2018
Patrick Brey - março de 2021

Volantes:
Henrique - dezembro de 2019
Ariel Cabral - outubro de 2019
Lucas Silva* - junho de 2019
Lucas Romero - fevereiro de 2021
Bruno Silva - dezembro de 2020
Ederson* - julho de 2019

Meias:
De Arrascaeta - dezembro de 2021
Thiago Neves - dezembro de 2019
Robinho* - dezembro de 2019
Rafinha - dezembro de 2019
Mancuello - dezembro de 2020

Atacantes:
Fred - dezembro de 2020
Barcos - junho de 2019
Raniel - janeiro de 2022
Sassá - dezembro de 2021
Rafael Sóbis - dezembro de 2019
David - dezembro de 2022

Voltam de empréstimo:
Fabrício Bruno - dezembro de 2020
Digão - julho de 2020
Bryan - maio de 2019
Pará - junho de 2019
Nonoca - outubro de 2021
Alex Apolinário - dezembro de 2019
Judivan - dezembro de 2020
Renato Kayzer - março de 2021

*Atletas emprestados ao Cruzeiro

05/12/2018

Atlético: raio-X da situação contratual do elenco

Vinícius Dias

De volta à Libertadores, o Atlético já trabalha nos bastidores visando à próxima temporada. E pelo menos no que depender do discurso do treinador Levir Culpi após a vitória sobre o Botafogo, na última rodada do Brasileirão, o elenco terá várias mudanças. O clube alvinegro encerra o ano com 24 atletas do grupo principal com vínculo para 2019.

Elenco do Atlético terá várias mudanças
(Créditos: Bruno Cantini/Atlético-MG)

O Blog Toque Di Letra, em parceria com o portal Rede do Futebol, fez um levantamento da situação contratual do elenco atleticano. Seis jogadores, entre eles o capitão Leonardo Silva e seu companheiro de zaga Iago Maidana, terão vínculos encerrados ainda neste ano. Por outro lado, pelo menos 11 atletas que estão emprestados retornam à Cidade do Galo.

Goleiros:
Victor - dezembro de 2020
Cleiton - dezembro de 2022
Uilson - agosto de 2019

Laterais-direitos:
Emerson - dezembro de 2022
Patric - dezembro de 2019

Zagueiros:
Leonardo Silva - dezembro de 2018
Iago Maidana* - dezembro de 2018
Gabriel - dezembro de 2021
Juninho* - dezembro de 2018
Martín Rea* - junho de 2019

Laterais-esquerdos:
Fábio Santos - dezembro de 2020
Hulk - dezembro de 2022

Volantes:
Adilson - dezembro de 2020
Elias - janeiro de 2020
José Welison* - dezembro de 2018
Matheus Galdezani* - dezembro de 2018
Gustavo Blanco - dezembro de 2022
Lucas Cândido - dezembro de 2019

Meias:
Juan Cazares - dezembro de 2020
Yimmi Chará - junho de 2023
David Terans - junho de 2023
Tomás Andrade* - dezembro de 2018
Nathan* - junho de 2019

Atacantes:
Ricardo Oliveira** - dezembro de 2020
Luan - abril de 2022
Leandrinho* - junho de 2019
Denilson - junho de 2023
Alerrandro - dezembro de 2021
Edinho - junho de 2023
Bruninho - dezembro de 2022

Voltam de empréstimo:
Marcos Rocha - dezembro de 2019
Alex Silva - dezembro de 2019
Jesiel - dezembro de 2020
Matheus Mancini - dezembro de 2020
Danilo Barcelos - dezembro de 2020
Leonan - março de 2020
Dodô - novembro de 2019
Marquinhos - dezembro de 2021
Carlos - setembro de 2019
Hyuri - dezembro de 2020
Capixaba - dezembro de 2021

*Atletas emprestados ao Atlético
**Renovação ainda não registrada no BID

03/12/2018

Cruzeiro será cabeça de chave da Libertadores

Vinícius Dias

Hexacampeão da Copa do Brasil, o Cruzeiro será cabeça de chave da Copa Libertadores em 2019. Nos bastidores, projeções apontam que o clube celeste aparecerá com 3.503 pontos - superando os 3.229 desta temporada, quando encabeçou o grupo 5 - na atualização do ranking da competição sul-americana. A Conmebol divulgará a nova versão até 17 de dezembro, data do sorteio dos confrontos da próxima edição.

Raposa caiu nas quartas neste ano
(Créditos: Vinnicius Silva/Cruzeiro E.C.)

Com 31 dos 47 participantes definidos, a Raposa tem uma das oito maiores pontuações entre os clubes garantidos na fase de grupos. O sistema da Conmebol considera histórico - nas edições de 1960 a 2008 - e desempenho dos clubes nas últimas dez edições da Copa Libertadores, além das conquistas de campeonatos nacionais. No cálculo da performance nos últimos dez anos, há um decréscimo de 10% por temporada.

Chance de duelo com o Atlético

O Cruzeiro, por exemplo, tem 892 pontos no coeficiente histórico e conquistou 840 neste ano, somando fase de grupos, classificação às oitavas e quartas de final, vitórias e empates. No pote 1, a Raposa elimina a chance de confrontos com equipes como Palmeiras, Grêmio e Boca Juniors, também cabeças de chave, na fase de grupos. Há possibilidade, no entanto, de clássico inédito com o rival Atlético, que disputará a fase preliminar.

02/12/2018

Atlético 'classifica' URT para a Copa do Brasil

Vinícius Dias

A classificação do Atlético à Copa Libertadores, confirmada com a vitória por 1 a 0 diante do Botafogo, nesse sábado, na Arena Independência, foi motivo para comemoração em Patos de Minas. Com o resultado, além da participação na competição sul-americana, o time alvinegro assegurou vaga direta nas oitavas de final da Copa do Brasil, beneficiando a URT.

Classificação do Galo beneficiou URT
(Créditos: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Com o Atlético ingressando nas oitavas, o Trovão Azul - sexto colocado - herdará uma das vagas destinadas à FMF, via estadual, para a primeira fase. Será a sexta participação do clube. O cenário é semelhante ao do Tombense, quinto colocado, que disputará a Copa do Brasil graças ao hexa do Cruzeiro. América e Tupi completarão a lista de mineiros em 2019.

01/12/2018

Galo: um olho nas lições, outro na Libertadores

Alisson Millo*

Quem diria. Chegamos ao fim do Brasileirão vivos e dependendo apenas de nós mesmos por uma vaga para a Libertadores. Em um ano que teve presidente falando muita bobagem, diretor gastando o dinheiro que não tinha trazendo um monte de perebas, treinador brigando com jornalista em coletiva, interino por quase um semestre, eliminações lastimáveis, jogador inicialmente execrado saindo como ídolo e uma infinidade de altos e baixos, o saldo, por incrível que pareça, pode não terminar no vermelho.


O futebol em campo não encheu os olhos, os dirigentes foram unanimidade por todas as razões erradas, o planejamento foi mal feito, não veio nenhum título, mas o resultado pode ser muito melhor do que a expectativa. Admita, em janeiro, fevereiro, você imaginava o time brigando lá embaixo uma hora dessas. Eu certamente sim. Uma das resoluções de fim de ano em 2017 foi diminuir a corneta. Eu só não esperava que fosse tão difícil.

Time de Ricardo Oliveira decepcionou
(Créditos: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Mas acabou. Está acabando. Só falta o Botafogo. Nossa eterna pedra no sapato. Uma vitória simples, em casa, contra um time que não aspira muita coisa no Campeonato Brasileiro. Que essa pedra vire uma brita e que o Galo a arremesse para bem longe. A Arena Independência promete estar lotada, com mais de 20 mil torcedores dando força para isolar essa brita e carregando, mais uma vez, o Atlético nos ombros.

Em campo contra o retrocesso

Quando o assunto é a Libertadores, a Conmebol parece fazer todos os esforços possíveis para destruí-la. Com uma organização mais precária que a CBF, a edição deste ano está totalmente marcada pela vergonha mundial que está sendo a final sonhada pela entidade - a decisão em jogo único a partir de 2019 pode ser o prego final no caixão da reputação do torneio. Mas, ainda sim, é um torneio de muito prestígio internacional e que dá, além de um bom dinheiro, vaga no Mundial. Com o patamar que o Atlético atingiu, ficar fora da Libertadores dois anos seguidos será um retrocesso.

Sette Câmara: ano de erros e lições
(Créditos: Pedro Souza/Atlético-MG)


Que a diretoria aprenda a lição e se prepare melhor para a próxima temporada. O elenco precisa ser reforçado com jogadores que cheguem e assumam a responsabilidade, não apenas com garotos pela perspectiva de lucro. Não se pode disputar a Libertadores apenas com promessas vindas sabe-se lá de onde. Milhões e milhões de reais da Copa do Brasil não podem ser jogados no lixo pela incapacidade de fazer um gol sequer em um time que brigou o ano inteiro na parte debaixo da tabela. E, se um desastre acontecer contra o Botafogo e tivermos apenas a Sul-Americana, jamais, em hipótese alguma, podemos tratar o torneio como segunda divisão.

A preparação para 2019, se ainda não começou, está mais do que atrasada. Seja com Marques, seja com outro diretor, o planejamento precisa ser traçado mirando o futebol jogado em campo. Rea's, Denilson's, Erik's e Samuels Xavier's não podem mais fazer parte da lista de nomes pensados como solução. Até porque nunca foram em lugar nenhum.

*Jornalista. Corneteiro confesso e atleticano desde 1994.
@amillo01 no Twitter, capitão da seção Fala, Atleticano!