30/06/2017

Ganhar nunca foi tão importante, Galo!

Alisson Millo*

Pela quinta vez nesta temporada, é semana de clássico. Do lado do Galo, a pressão é grande pelo momento de instabilidade do time e por jogar na Arena Independência com maioria nas arquibancadas. Apesar da vitória no último domingo, diante da Chapecoense, a equipe ainda se encontra na parte de baixo da tabela do Campeonato Brasileiro e atrás do rival. No entanto, nem só de más notícias vive o Atlético.


Com a volta de Gabriel, fazendo dupla com Léo Silva depois de muito tempo, a esperança é de que o tão criticado setor defensivo passe segurança aos companheiros e à torcida. No meio-campo, a novidade pode ser Adilson. Volante de destruição, o camisa 21 foi o ponto de equilíbrio de Roger Machado na decisão do estadual e nas primeiras rodadas do Brasileirão. Com a suspensão de Rafael Carioca, para alegria de uns e tristeza de outros, a vaga no setor está em aberto. Outra opção é Roger Bernardo.

Atlético em vantagem na Copa do Brasil
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Este, por sua vez, parece ter agradado. Recém-chegado do Ingolstadt, da Alemanha, o volante, de 31 anos, foi uma das vozes da experiência no jogo contra a Chapecoense e peça importante para segurar a pressão imposta pelos catarinenses. Três pontos muito importantes conquistados por uma equipe quase toda de jogadores da base e que jogou com muita raça, tudo o que o grupo principal não vinha mostrando nas partidas.

Quando tá valendo, tá valendo

No clássico, entretanto, não há desculpas. Depois da folga no fim de semana, os titulares têm que embalar com o jogo da Copa do Brasil, assimilando o clima de decisão e partindo para cima do rival. Passou da hora de o Atlético voltar a impor medo nos adversários quando joga em casa e nada melhor do que dois bons resultados em sequência para fazer isso.

Valdívia e Marlone: heróis em Chapecó
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

O jargão diz que clássico é um campeonato à parte, então chegou o momento de encarnar o "quando tá valendo, tá valendo" mais uma vez. Não podemos perder esse jogo de jeito nenhum. São três pontos, a recuperação, um pouco mais de tranquilidade, o embalo e uma freada no rival, tudo em jogo em uma partida só. Ganhar nunca foi tão importante assim.

*Jornalista. Corneteiro confesso e atleticano desde 1994.
Goleiro titular e atual capitão da seção Fala, Atleticano!

Nenhum comentário:

Postar um comentário