18/08/2013

Cuca: um campeão de fé

Alisson Millo

Alexi Stival: o mais novo grande técnico do futebol brasileiro. Segundo o próprio, o 'rótulo' de grande deve-se unicamente a Deus. Não somente o fato de ser, hoje, um dos maiores. Tudo na vida de Cuca deve-se a Ele. Para o atleticano, o ato mais importante feito por Deus para o técnico e também para a equipe foi o título de campeão da Copa Libertadores, em julho último.

Por muito tempo, Cuca foi alvo de piadas, em especial pela religiosidade. Chamavam-no de azarado, pé frio, diziam que ele rezava errado... Enfim, ninguém acreditava que ele daria sorte. Mas ele deu, e como deu. Sorte de campeão da América!

Cuca: sorte e trabalho, lado a lado
(Créditos: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Muitos dizem que a sorte é aliada dos competentes. Então se pode dizer que ele é competentíssimo. Afinal, não é todo time que tem um santo em campo. Foi Deus quem deixou o pé de Victor no pênalti histórico frente ao Tijuana. O homem 'lá de cima', também colocou na trave, de forma mais caprichosa impossível, o pênalti batido pelo argentino Matías Gimenez, do Olimpia.

De joelhos, às lágrimas!

Como um bom homem de fé que Cuca é, ele tratou de rezar muito, para agradecer. Dentro de campo, durante a disputa de pênaltis, lá estava o Alexi, de joelhos à beira do gramado, com sua camisa de Nossa Senhora. Ao final, ele desabou em lágrimas, e agradeceu a Deus por interceder por ele mais uma vez.

De fé se faz um técnico campeão
(Créditos: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Cuca fez pelo Galo algo que ninguém jamais havia feito: dar um título da Libertadores. Até mesmo o mais ateu dos atleticanos rezou (e reza até hoje) pelo treinador. Alexi Stival, Cuca, dono da América, o treinador do Galo, homem de fé. O campeão de fé, que ora e é citado nas orações de toda a massa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário