28/08/2013

De novo, eu acredito

Gilvan Meireles

A volta de Pierre, o adeus de Vitinho. Defesa reforçada para um ataque recém-desfalcado são as melhores notícias possíveis. Em um jogo difícil, estes fatores podem representar muito. O Atlético precisa de gols, vai ao ataque e vai deixar espaços. Vitinho, jovem e veloz, era fundamental no contragolpe do Botafogo. Pierre, sempre um zagueiro a mais, um 'cão de guarda' da defesa, volta para dar gás ao time. É disso que precisaremos nesta noite.

Os gols podem sair a qualquer hora. Mas sem dúvidas, quanto mais cedo melhor. Vide o duelo contra o Newell's, quando aos três minutos de jogo Bernard já marcava o primeiro gol do Atlético. Aquele tento acalmou os nervos, e deu mais confiança para o restante da partida. Quanto mais o Atlético tiver domínio nos ataques, na recuperação e na posse de bola, maior a chance de fazer um gol. Ou seja, é hora de o torcedor empurrar seus ídolos!

Mais uma vez, o alvinegro acredita
(Créditos: Bruno Cantini/Atlético-MG)

Na arquibancada podemos fazer a diferença. Impor o nosso grito, fazer o caldeirão, vaiar o adversário, cantar, vibrar... e tremer. Este é o dever do atleticano que quer triunfar hoje. O Atlético, unido a sua torcida, faz as partidas ficarem mais fáceis. É mais fácil de vencer o bloqueio já abalado psicologicamente. Isso é fato: "caiu no Horto, tá morto", amigo! Não tem para ninguém.

Com fome de bola...

Desta vez não há salto alto, como diante do Tijuana. É um Atlético com 'fome de goleada'. Como o do jogo ante o São Paulo, quem sabe. Ou um drama como as pelejas contra o Newell's e Olimpia. No entanto, a única semelhança que quero encontrar é o avanço à próxima fase. Quem sabe teremos um clássico diante do Cruzeiro nas quartas de final. Enquanto isso, devemos gritar outra vez.

De novo, eu acredito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário