13/12/2016


Marco Antônio Batista destaca condição administrativa do Coelho
e prega 'olhar de lupa' no mercado por retorno imediato à Série A

Vinícius Dias*

O mau desempenho do América no Campeonato Brasileiro, culminando no rebaixamento, refletirá fora de campo na próxima temporada. Na elite, o alviverde faturou mais de R$ 25 milhões com direitos de transmissão. Na Série B, a cota deve cair 80%, ficando em cerca de R$ 5 milhões. Nesse cenário, conforme o Blog Toque Di Letra apurou, o clube deve trabalhar com um orçamento na faixa de R$ 20 milhões em 2017, metade do valor apontado para esta temporada.


Sem antecipar detalhes, Marco Antônio Batista, membro do Conselho de Administração, confirma a projeção. "(No orçamento), os números estarão refinados. Mas a ordem de grandeza é essa mesmo". Neste ano, o Coelho teve folha salarial de aproximadamente R$ 1,5 milhão mensal. De volta à divisão de acesso, as cifras praticadas em 2017 serão mais modestas. "A redução será grande", assegura.

Marco Batista fala dos planos para 2017
(Créditos: Carlos Cruz/América FC/Divulgação)

A tendência é de que mais da metade do orçamento seja destinada ao futebol. Ainda assim, Batista reconhece que a margem de erro diminuirá. "Tem de ter um olhar de lupa para montar o elenco, já que as mudanças serão grandes. A diretoria de futebol terá de trabalhar em cima de uma realidade bem mais rígida (para 2017)", comenta o presidente americano, destacando que, do ponto de vista administrativo, o clube está em boas condições atualmente.

Patrocínios e vendas em pauta

Visando minimizar o impacto da diminuição das receitas de TV, o América considera duas alternativas: busca por novos patrocínios e negociações de atletas. Em campo, a prioridade será garantir presença na elite em 2018. "Fizemos um trabalho brilhante em 2015 e temos que fazer o mesmo em 2017 para voltarmos à Série A. Estamos profissionalizando o clube e com projetos para deixar uma estrutura capaz de suportar o desafio de voltar rapidamente à elite e permanecer", diz Marco Antônio Batista.

*Atualizada às 17h31

2 comentários:

  1. O Batista, na minha opinião é um grande americano, mas é um conselheiro e não presidente. O "Toque de Letra", revela desconhecimento do estatuto do América.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Magnus,

      Na matéria, fizemos referência ao Marco Antônio inicialmente como "membro do conselho de administração", como pode conferir acima.

      Em relação ao possível desconhecimento do estatuto, chama atenção o fato de que o próprio América, por meio de seu site oficial, utilizou em várias oportunidades o termo "presidente" para fazer referência ao mesmo.

      Excluir