14/12/2016


Vice de futebol confirmou contato com atleta e avaliou situação
contratual: 'Se quiser continuar na China, não temos como arcar'

Vinícius Dias

Maior artilheiro estrangeiro da história do Cruzeiro, Marcelo Moreno entrou definitivamente em pauta para 2017. Conforme apurou o Blog Toque Di Letra, o primeiro movimento de bastidores ligado ao tema ocorreu um dia após o término do Campeonato Brasileiro, por meio do vice-presidente de futebol Bruno Vicintin - o boliviano esteve na sede do clube em novembro, mas a vinda a Belo Horizonte se deveu a assuntos pessoais. Ainda não há uma proposta documentada.


Mais do que de números, entretanto, o acordo dependerá dos planos de Marcelo Moreno. Prestes a ficar livre no mercado, o atleta é alvo de pelo menos dois clubes chineses, além do próprio Changchun Yatai, do qual foi artilheiro na última edição da Superliga, com 13 gols. Por um retorno ao Brasil, na comparação com o atual contrato, teria de aceitar abrir mão de mais da metade dos valores.

Boliviano comemora gol pelo Cruzeiro
(Créditos: Geraldo Bubniak/Light Press)

Nessa terça-feira, em entrevista coletiva, Vicintin mostrou estar ciente da situação. "A gente conversou com ele, e as portas do clube estão abertas. Porém, é uma decisão de carreira. Se ele quiser continuar fora do Brasil, principalmente na China, o Cruzeiro não tem como arcar. Se quiser voltar para o Brasil, ofereceremos boas condições". O agente do atleta, Fabiano Farah, não atendeu às ligações da reportagem.

Títulos e gols pelo Cruzeiro

Somadas as duas passagens, Marcelo Moreno disputou 93 partidas com a camisa celeste e marcou 45 gols. No Cruzeiro, o boliviano foi duas vezes campeão mineiro e também conquistou o Campeonato Brasileiro de 2014, marcando 15 gols na campanha.

Um comentário:

  1. Excelente reforço considerando a identidade do atleta com o time é a torcida. Mas vale ressaltar que não é a prioridade do elenco, que já tem Ábila como o matador... O Cruzeiro precisa de um Armador inteligente e experiente pra ser o líder do time é botar a bola debaixo do braço nos momentos difíceis... Precisamos de um reserva a altura do Ábila, mas um veterano como Roger da macaca ou Alecgol resolvem. Sem esquecer claro de laterais que cruzem com qualidade, senão não adianta ter centroavantes de área.

    ResponderExcluir