22/12/2016


Curso licença A reuniu profissionais como Roger Machado, Vagner
Mancini, Ney Franco e dirigentes das bases de Atlético e Cruzeiro

Vinícius Dias

Em meio ao período de férias no futebol nacional, dezenas de treinadores trocaram o descanso pela busca por conhecimento. O primeiro módulo do curso licença A da CBF, cuja turma foi intitulada Caio Júnior, contou com nomes como Roger Machado, que comandará o Atlético no próximo ano, e Vagner Mancini, substituto de Caio na Chapecoense. Encerrado no fim de semana passado, o curso também teve a presença de vários profissionais ligados ao futebol mineiro.


"Foram dez dias em Teresópolis respirando futebol, 56 treinadores, todos eles com uma história particular e um objetivo comum: conhecimento", diz Alexandre Grasseli, capixaba que trabalhou entre 2005 e 2011 na base do Cruzeiro. "O intercâmbio com outras escolas do futebol mundial, tais como alemã e italiana, só confirma que o futebol brasileiro tem seus conceitos e está evoluindo a partir de cursos como esse da CBF", completa Grasseli ao Blog Toque Di Letra.

'Mineiros' durante curso em Teresópolis
(Créditos: Arquivo Pessoal/Alexandre Grasseli)

De volta ao Brasil após uma passagem de quase três anos pelo Petro de Luanda, de Angola, o treinador também destaca a mobilização visando à regulamentação da profissão no país, por meio da aprovação de lei, e ao reconhecimento da licença da CBF em âmbito mundial.

Dirigentes de Atlético e Cruzeiro

Pelo menos mais seis profissionais ligados a clubes do estado realizaram o curso: o carioca André Figueiredo, diretor de futebol de base atleticana; o paranaense Adilson Batista, ex-treinador do Cruzeiro; e os mineiros Moacir Júnior, comandante do Botafogo/SP; Léo Condé, do CRB; Ney Franco, ex-Ipatinga; e Emerson Ávila, coordenador da base celeste.

Um comentário:

  1. SIM E QUEM JA FEZ O CURSO POR OUTRA ENTIDADE COMO ABTF, SINDICATOS,ETC COMO FICA.SABENDO QUE ATE 2002 A ABTF E CBF ESTAVAM COLIGADAS NOS CURSOS FEITO NA URCA, TANTO QUE A ABTF E CBF COMPARTILHAVAM SEUS SIMBOLOS NOS DIPLOMAS, E NUNCA TEVE PROBLEMA FORA DO BRASIL NA APRESENTACAO DESTES DOCUMENTOS.OUTRA DEIXA COMO PODE A CBF DAR O CURSO DE TREINADOR SEM QUE A PROPRIA LEI DOS TREINADORES CHAMADA CAIO JUNIOR SEQUER FOI SANCIONADA,AOS TREINADORESS QUE TRABALHAM FORA DO BRASIL E ATE EM SELECOES DE BASE COM O DOCUMENTO ANTIGO, COMO FICARIAM SE VIR O RECONHECIMENTO DA LICENSA DA CBF A NIVEL MUNDIAL.....

    ResponderExcluir