22/07/2018

Vamos, Cruzeiro! Contra tudo e unindo todos

Douglas Zimmer*

Salve, China Azul!

Parece que o tempo sem jogos oficiais deixou todo mundo um pouco nervoso, ansioso. Após os amistosos com o Corinthians e do jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil contra o Atlético/PR, parecia que o clima entre torcida, time e técnico já não era dos melhores e que as partes ficariam com um pé atrás em relação às outras. Diante dos paulistas, dois duelos confusos, com time bastante modificado e cara de jogo festivo do início ao fim. Nada de muito sério no fim das contas. Contra o Atlético/PR, classificação suada em plena segunda-feira pós-final da Copa do Mundo.


Grande público diante dos paranaenses, um futebol não lá muito convincente e uma declaração de Mano Menezes cobrando - ainda - mais apoio do torcedor. Uma mistura que, em outras ocasiões e em outros territórios, poderia ser definitiva para uma ruptura ou para o início de um período turbulento. Bem, veio a quinta-feira e, com ela, o retorno do Brasileirão. Outra vez diante de seu torcedor, o Cruzeiro mostrou vontade de vencer desde o princípio e, apesar de sair atrás no placar, teve poder de reação, dominou o jogo e deixou o gramado com mais três pontos na conta.

Arrascaeta foi decisivo em clássico
(Créditos: Vinnicius Silva/Cruzeiro E.C.)

Desta vez com menos público do que no jogo que definiu a ida da Raposa às quartas de final da Copa do Brasil, o time teve que correr atrás do resultado depois de sofrer um gol com meia hora de jogo. Aí foi a vez de os quase 18 mil presentes responderem à sua maneira ao chamado do treinador. Com o placar desfavorável, o cruzeirense demonstrou apoio a Dedé, que falhou na jogada do gol americano, e passou a incentivar ainda mais o time. O incentivo deu resultado quase que imediato, já que três minutos depois o uruguaio Arrascaeta igualaria o confronto no Mineirão.

João Ricardo impediu goleada

Na sequência, o time passou a dominar cada vez mais as ações e a vitória foi construída naturalmente. Não fossem as intervenções de João Ricardo e algumas falhas na hora de finalizar, o placar poderia ter sido ainda mais dilatado. Mas, por ora, isso é apenas um detalhe. A vitória e a festa não poderiam ter vindo em melhor hora. Vale lembrar que, antes da pausa para a Copa, o maior de Minas passou três rodadas sem vencer e, o que é pior, jogando muito abaixo daquilo que pode. A atuação de quinta-feira, além de nos manter na briga pelo topo, demonstra ao torcedor que o grupo está bem e pode entregar bem mais do que nas últimas exibições.

Mano teve motivos para comemorar
(Créditos: Vinnicius Silva/Cruzeiro E.C.)

A partir de agora, todos os jogos serão muito intensos e decisivos. Com o time em três competições, é fundamental que estejamos unidos pelo mesmo objetivo: o bem do Cruzeiro Esporte Clube. Se todos fizerem sua parte - e isso inclui cobrar o outro caso algo não esteja indo bem -, nossas chances aumentam. Sei que é cedo para elogios, mas gostei muito da atitude de todos no último jogo. Nem sempre as coisas correrão tranquilamente. Inclusive, é provável que na maioria das vezes elas sejam muito mais complicadas do que o esperado. Nessas horas, mais do que nunca, precisamos mostrar nossa força e lutar com todas as armas que tivermos.

Força, Cruzeiro!

*Gaúcho, apaixonado pelo Cruzeiro desde junho de 1986.
@pqnofx, dono da camisa 10 da seção Fala, Cruzeirense!

Um comentário:

  1. Realmente esse rodízio faz bem e trara resultados principalmente no fim da temporada quando muitos jogadores chegam estados fisicamente..mas esse rodizio tinha que incluir todos.eh mais justo..
    P ex..Tn30 tem que fazer parte desse rodizio..ele nunca sai mesmo não sendo hoje peça imprescindível.ele não é mais decisivo e isso preocupa em vista das decisões chegando.e seria justo o melhor volante do cruzeiro ter mais oportunidades.o Romero..o que mais marca nesse time..enfim.se o mano der uma consistência defensiva a esse time..creio que o ataque decidirá mtos jogos importantes..

    ResponderExcluir