15/12/2017


Clube celeste baterá marca de 150 confrontos pela competição em
2018; penúltimo brasileiro campeão, rival alvinegro soma 81 jogos

Vinícius Dias

O apito final do colombiano Wilmar Roldán, na noite dessa quarta-feira, no Maracanã, fez o Independiente, da Argentina, soltar o grito de campeão da Copa Sul-Americana e pôs fim ao sonho do Atlético de disputar a Copa Libertadores em 2018. Fora da próxima edição, o clube interrompe a maior sequência mineira de participações na principal competição sul-americana, registrada entre 2013 e 2017. Mais do que isso: vê o arquirrival Cruzeiro, de volta, aumentar a vantagem no retrospecto.


Quarto brasileiro com mais presenças desde a criação, em 1960, o clube celeste assegurou vaga pela 16ª vez. Campeã em 1976 e 1997, diante de River Plate, da Argentina, e Sporting Cristal, do Peru, respectivamente, a Raposa vai superar a marca de 150 jogos pelo torneio durante a fase de grupos em 2018. Nas 15 participações entre 1967 e 2015, foram 86 vitórias, 27 empates e 35 derrotas, com aproveitamento de 64,2%, balançando as redes 278 vezes e sofrendo 147 gols em 148 duelos.

Raposa disputará sua 16ª Libertadores
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Nono colocado no ranking nacional, o Atlético soma nove participações na principal competição da América do Sul. Campeão em 2013, diante do Olimpia, do Paraguai, a equipe alvinegra entrou em campo 81 vezes na história da Copa Libertadores. Da estreia, em 1972, até a edição deste ano, quando foi eliminado nas oitavas de final pelo Jorge Wilstermann, da Bolívia, foram 36 vitórias, 23 empates e 22 derrotas, com aproveitamento de 56,4%. O Galo marcou 124 gols e foi vazado 86 vezes.

Atlético x Cruzeiro na Libertadores - via FutDados:

Partidas disputadas: 81 x 148
Temporada de estreia: 1972 x 1967
Retrospecto: 36v, 23e, 22d x 86v, 27e, 35d
Aproveitamento geral*: 56,4% x 64,2%
Gols: 124 pró/86 contra x 278 pró/147 contra
Maior sequência: 5 (2013 a 2017) x 4 (2008 a 2011)

*De 1960 a 1994, vitórias valeram dois pontos

5 comentários:

  1. É por retrospectos assim, sério, enriquecidos por dados históricos e confiáveis que nós, os cruzeirenses de todos os rincões deste país sentimos orgulho de dizer: SOMO O MAIOR DE MINAS!

    ResponderExcluir
  2. RONY
    Na boa, sou Cruzeiro, mas de que vale mesmo esta estatística?
    De que vale ter jogado 150 confrontos? O que eu quero mesmo caro amigo, e ganhar o título , ter marca como li sobre o Independente, de que adianta ser igual testiculo? participa mais nao entra? quero é ganhar, formar um grande time , como aquele que montamos em 1997, o resto, serve para contar historia e eu quero contar é taça,título, entendeu?

    ResponderExcluir
  3. RONY
    Me desculpe, errei na data.
    Gastaria de ter dito 1976 - errei feio
    O time de 97 ganhou, mas não era lá um timaço nao.
    Mas o time de Raul,Nelinho,Moraes,Darcy e Wanderlei
    Piaza e Eduardo
    Batata,Palha,Jair e Joaozinho, e ainda o mestre Zelao(Ze Carlos)
    Este sim, foi um time montado para ser campeao.
    Tecnico -ALFREDO MOREIRA JUNIOR.

    ResponderExcluir
  4. Esses pequenóides,tão sempre la embaixo kkk.Hélio Corrêa,bom mesmo é título,e dentro dessa estatística aí tem dois.

    ResponderExcluir
  5. RUNAWAY
    É verdade caro amigo.
    Mas ja ando com saco lotado de estatistica.
    Aí vc. vê lá, 500 chutes, 300 defesas, nao sei quantos escanteios, e no fim 5º lugar.
    Chega, quero é ser campeao, concordo com vc. nesta aí, temos 2, nao olhei ainda, mas é provavel que temos mais do que Santos e Gremio por exemplo, e eles tem tres títulos e nos somente 2.
    É isto que estou falando, quero que montem um time , para sermos campeos, eu, vc. e tantos outros cruzeirenses. nao queremos mais ficar olhando numeros, queremos é comemorar títulos. sacou caro amigo.?

    ResponderExcluir