23/05/2017


Algoz alvinegro em 1998, time paranaense chega a mata-mata com
64% de aproveitamento em 2017 e sem sofrer gols há sete partidas

Vinícius Dias

Na noite desta quarta-feira, diante do Paraná, o Atlético inicia a caminhada em busca do bicampeonato da Copa do Brasil. O embate no Couto Pereira marcará o reencontro entre tricolores e alvinegros após quase dez anos. O último duelo entre as equipes aconteceu na 34ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2007: 0 a 0, no Mineirão, no dia 31 de outubro. Rebaixado naquele ano, o clube paranaense segue fora da Série A, mas chega às oitavas de final com bons números.


Atualmente comandado pelo jovem técnico Cristian de Souza, o Paraná disputou 25 partidas neste ano: 13 vitórias, nove empates e três derrotas. O aproveitamento de 64% é o quinto melhor entre os clubes que disputam a Série B - em casa, foram nove vitórias e cinco empates em 14 jogos. Com apenas nove gols sofridos, o tricolor ainda tem a melhor defesa. O goleiro Léo Vieira foi vazado pela última vez no clássico diante do Atlético/PR, pelas quartas de final do estadual, no dia 02 de abril.

Paraná está invicto como mandante
(Créditos: Robson Mafra/Paraná Clube)

"Será o maior jogo da história recente do clube", assegura o jornalista Guilherme Moreira, responsável pela cobertura do futebol paranaense no Lance! "Os últimos jogos com apelo nacional foram diante do Palmeiras, em 2012 (nas oitavas de final da Copa do Brasil) e 2013 (na Série B)", relembra. A expectativa da diretoria do Paraná é de que as arquibancadas do Couto Pereira recebam mais de 15 mil torcedores nesta quarta-feira - o recorde tricolor na temporada é de 13 mil.

Grande evento no Couto Pereira

A mobilização em torno das oitavas de final teve início na semana passada. "O clube vem promovendo o evento nas redes sociais, mídia e com coletivas. Nessa segunda-feira, por exemplo, as taças dos paranaenses de 1991 e 1996, conquistadas no Couto Pereira, estiveram ao lado da diretoria, do atual capitão Brock e de Renaldo, ex-atacante de Paraná e Atlético", comenta o jornalista. Com a camisa alvinegra, Renaldo disputou 183 jogos e marcou 79 gols, dois deles contra o tricolor.

Coletiva sobre o duelo nessa segunda
(Créditos: Paraná Clube/Twitter/Divulgação)

A partida será a 21ª entre os clubes: desde 1995, foram oito vitórias para cada lado e quatro empates. Na Copa do Brasil, o retrospecto é favorável ao Paraná, que levou a melhor em 1998. "Difícil (repetir), mas possível. O time tem uma defesa consistente e sofreu apenas um gol como mandante na temporada. É bom considerar que ainda não enfrentou um ataque poderoso como o do Galo. O maior problema é o setor ofensivo, que não se acertou e tem muita rotatividade de atletas", analisa Moreira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário