07/08/2017


Equipe alvinegra nunca perdeu para bolivianos em BH; adversário
de quarta-feira venceu apenas um duelo como visitante neste ano

Vinícius Dias

Para avançar às quartas de final da Copa Libertadores, o Atlético terá que pôr fim um jejum de 38 dias sem vencer em Belo Horizonte. Após derrotas consecutivas para Santos, Bahia, Vasco e Corinthians, o retrospecto do adversário desta quarta-feira serve como alento para o alvinegro. Fora de casa, o Jorge Wilstermann tem apenas 13,3% de aproveitamento neste ano. 100% como mandante na competição sul-americana, o Galo precisa de um triunfo por pelo menos dois gols de diferença diante dos bolivianos, no Mineirão, para se classificar no tempo normal.

Na Bolívia, Atlético perdeu por 1 a 0
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

Classificado às oitavas de final como segundo colocado do grupo 5, o time comandado pelo peruano Roberto Mosquera acumulou bons resultados em Cochabamba nesta edição da Copa Libertadores: goleada por 6 a 2 sobre o uruguaio Peñarol, na 1ª rodada, e vitórias por 3 a 2 diante do Palmeiras, em maio, e por 1 a 0 sobre o próprio Atlético, na partida de ida. Como visitante, no entanto, os números em 2017 são pífios: após 15 partidas, o Jorge Wilstermann contabiliza 11 derrotas, três empates e apenas uma vitória, tendo sofrido 26 gols e marcado nove.

100% em BH contra bolivianos

O confronto desta quarta-feira será o décimo do Atlético contra bolivianos na história. O clube mineiro levou a melhor em sete dos nove encontros e tem 100% de aproveitamento em casa, incluindo o triunfo sobre o Sport Boys, em abril, no Horto. Sonhando com a histórica vaga nas quartas de final, o Aviador chegará a Belo Horizonte com três velhos conhecidos do torcedor mineiro: o experiente zagueiro Alex Silva, ex-Cruzeiro; o meio-campista Carlinhos, que disputou o estadual deste ano pela URT; e o atacante Serginho, campeão da Taça Minas Gerais pelo Boa Esporte em 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário