12/05/2018

Dedé: a alma do negócio no Cruzeiro

Gustavo Vaz*

Você já experimentou ficar de fora da pelada dos amigos quando o que mais queria fazer era jogar o seu futebol? Você já experimentou não poder realizar alguma tarefa em sua vida por algum problema de saúde? Você já chegou perto de alcançar um grande objetivo e, por um motivo alheio à sua vontade, viu essa oportunidade escorrer pelo vão dos seus dedos? Guardadas as devidas proporções, um dos maiores zagueiros do futebol brasileiro viveu situações equivalentes nos últimos tempos, mas está de volta para fazer o restante de sua história acontecer.


Diante de tantas conquistas e glórias, como ter alcançado um lugar na seleção brasileira e ter conquistado títulos importantíssimos - inclusive, alguns dos maiores da história do Cruzeiro, como dois Campeonatos Brasileiros e uma Copa do Brasil -, Dedé viveu inúmeros dramas com a camisa estrelada. Longe dos gramados por longos períodos, o zagueiro teve sua carreira colocada em xeque por constantes e intensas lesões e viu escapar várias oportunidades de mostrar sua capacidade e sua raça dentro de campo.

Dedé voltou ao time em grande estilo
(Créditos: Bruno Haddad/Cruzeiro E.C.)

Tratado, recuperado e muito determinado, Dedé voltou em definitivo ao Cruzeiro em fevereiro deste ano. Não demorou muito para que os resultados pudessem expressar a diferença do time com a sua presença. De acordo com dados levantados pelo FutDados, das 25 partidas disputadas pelo Cruzeiro no ano de 2018, pudemos acompanhar a performance de Dedé em 13 delas. Nelas, o time estrelado contou com a excelente média de 0,23 gol sofrido por partida. Já nas partidas em que não vimos a atuação do zagueiro, a defesa do Cruzeiro alcançou a média de 0,75 gol sofrido por jogo. Os números, assim como a história, não mentem!

Retorno em altíssimo nível e com gol

Sem sombra de dúvidas, o retorno do jogador aos gramados após algumas cirurgias que poderiam ter impossibilitado sua permanência, não só no clube, como no futebol, foi um dos mais relevantes motivos pelo qual o Cruzeiro manteve um alto nível neste início de temporada, sobretudo na zona defensiva. Não só dentro das quatro linhas como fora delas. Arrisco dizer que, sem ele, não teríamos conquistado o Campeonato Mineiro da maneira que conquistamos nem mesmo teríamos as mesmas intensidades, motivações e atuações na Copa Libertadores, até o momento.

Zagueiro enfrentou calvário na Toca
(Créditos: Vinnicius Silva/Cruzeiro E.C.)

Para coroar seu retorno, o gol que o zagueiro almejava desde a reestreia finalmente saiu diante do Botafogo, no último domingo, e, como a alma do negócio, do time e da torcida, o jogador fez questão de dedicá-lo a um torcedor que o comoveu com sua história de vida. De torcedor para torcedor, de guerreiro para guerreiro, do mito à nação. Obrigado Dedé, por nos provar, a cada partida, que jamais devemos desistir de nossos objetivos. E o seu sempre foi, e ainda é, marcar a história do Cruzeiro.

Que Deus perdoe essas pessoas ruins

Houve quem dissesse que Dedé jamais voltaria a jogar em alto nível. Houve quem dissesse que o Cruzeiro jamais iria recuperar o 'prejuízo' em ter apostado no jogador. Houve quem dissesse que Dedé não era um jogador à altura do maior de Minas e que o clube não deveria arcar com os custos da saúde de um jogador. Há quem diga que jogador de futebol não tem alma de torcedor, não tem paixão pelo esporte nem mesmo pelo clube em que atua. Uma pena, mal sabem o que estão falando.

A vocês, deixo o grito da nossa nação, ecoado no Mineirão, para relembrarem: 'O Dedé voltou, o Dedé voltou!'.

*Advogado, convidado da seção Fala, Cruzeirense!
Apaixonado pelo Cruzeiro. No Twitter, é @gubvaz.

9 comentários:

  1. MONSTROOOOOOOOOOOOO. JOGA MUITO MESMO.

    ResponderExcluir
  2. Será um dos melhores investimentos que o Cruzeiro já fez. Só sairá do Cruzeiro por um bom dinheiro e direto para a Europa.

    ResponderExcluir
  3. Pela pessoa simples que é. Pela dedicação como profissional demonstrada e pelo caráter incondicional, além do respeito pela camisa do Melhor de Minas: MERECE!!!

    ResponderExcluir
  4. Um ser humano humilde e acima de tudo de muita fé. Sempre que pode nas segundas-feiras está de joelhos dobrados agradecendo e buscando em Deus forças para suas batalhas diárias no grupo de oração que participo desde 2013.
    Força mito.

    ResponderExcluir
  5. Boa noite,
    Vamos com calma. Trata-se de um grande jogador. Mas vamos com calma porque daqui a pouco estaremos fazendo criticas.
    O que esperamos é que ele retribua em campo, tudo que o CRUZEIRO fez.
    Alias retribuir em campo é apenas a sua obrigação, pois ganha alto salario.
    Não acredito em jogadores, a primeira proposta que aparecer, vai falar que é uma oportunidade. E a diretoria vai falar que não tinha como segurar. Como tantos outros.
    É assim que funciona hoje o futebol. Só boleiros e dinheiro.

    Cuiabá MT.

    ResponderExcluir
  6. E o melhor zagueiro do Brasil. Se não convocarem ele para a seleção que vai a Russia estarão perdendo a oportunidade de ter o melhor da posição.

    ResponderExcluir
  7. Jogador espetacular!!! Incaível como o Maior de Minas Incaível!!!

    ResponderExcluir
  8. Foi muito respeitado e apoiado pelo Cruzeiro, como ser humano, trabalhador do clube e atleta profissional! Temos certeza de que fará tudo para continuar atuando em alto nível pelo Maior das Américas!

    ResponderExcluir
  9. Diferenciado, sem igual na atualidade. Com Dedé comandando a zaga seremos campeões dos torneios à disputar.

    ResponderExcluir