15/05/2018


Eleito com apoio de 97% dos filiados, Adriano Aro planeja capacitar
clubes, implantar estadual amador e sonha com o aplicativo da FMF

Vinícius Dias

Presidente da Federação Mineira de Futebol para o quadriênio 2018/2022, Adriano Aro será empossado antes da Copa do Mundo, que começa em 14 de junho. Em entrevista ao Blog Toque Di Letra, o sucessor de Castellar Neto traça planos para o futebol profissional, amador e para a administração da entidade. "Nossa gestão foi muito boa, mas sempre podemos melhorar", pontua o atual secretário-geral. Eleito no fim de outubro com apoio recorde - reuniu 119 dos 123 filiados -, o advogado também projeta a relação com o Cruzeiro, um dos raros não apoiadores da chapa.


"Tenho tentado, a cada dia mais, estar mais próximo do Cruzeiro. Tenho bom relacionamento com toda a diretoria, em especial com o presidente Wagner. Estive com ele após o Mineiro, mostrando a importância de Cruzeiro e federação caminharem sempre juntos. É um clube importantíssimo para a federação. O que estiver a meu alcance farei para estarmos sempre juntos, atendendo às demandas do Cruzeiro", destaca. Em abril, por sinal, o clube celeste e a FMF já estiveram alinhados na eleição da CBF, que terá Castellar Neto como vice-presidente no quadriênio 2019/2022.

Advogado assumirá antes da Copa
(Créditos: Arquivo Pessoal/Adriano Aro)

Para o futebol profissional, no geral, o projeto de Aro tem a capacitação como mote. "O grande desafio é fazer com que os clubes se tornem ainda mais profissionais. Muitas vezes, eles são para fins de registro, mas não possuem uma estrutura, organização profissional. Nosso objetivo é capacitar ainda mais os nossos clubes, nossos filiados, oferecendo cursos, transmitindo know-how. Claro, sem perder de vista que a gente precisa tentar baratear o custo do campeonato e também evitar que os clubes devedores acabem gerando transtornos para os pontuais, saudáveis", detalha.

Metas na administração e amador

Mesmo assumindo após quatro superávits consecutivos sob o comando de Castellar Neto, acumulando mais de R$ 3,3 milhões, o novo presidente vê espaço para avanços administrativos. "Modernizar um pouco mais, deixar a federação cada vez mais acessível para os filiados, para as pessoas que acompanham o futebol mineiro, informação mais rápida. Quem sabe a gente não surge com um aplicativo da federação?", revela. "São evoluções pontuais, mas que farão a diferença no dia a dia dos clubes, principalmente, então acredito que todos vão sentir", acrescenta.

Castellar será vice de Aro na FMF
(Créditos: CBF TV/Reprodução)

No amador, os planos de Aro incluem a criação de um grande torneio. "Meu sonho é implantar uma copa estadual de futebol amador, incluindo todas as ligas, até as mais distantes. Logística e custos são desafios, mas, com bom planejamento, a gente consegue superar. A ideia é dar mais visibilidade aos atletas, incentivá-los. Creio no futebol amador como celeiro de talentos", diz. "Muitas vezes, os municípios não têm condições de ter um clube profissional, disputar grandes competições, então temos que possibilitar que os jovens atletas apareçam para o futebol nacional", completa.

2 comentários:

  1. Para incentivar o futebol amador que tal começar a marcar jogos amadores como preliminares dos jogos profissionais, como era antigamente. Inclusive, tais preliminares poderiam ocorrer entre os times de bases dos times profissionais que irão jogar. Seria um "aperitivo" para os torcedores e incentivo para os atletas.

    ResponderExcluir
  2. Família ARO? Visshhhhhhhhhhhhhh

    ResponderExcluir