10/01/2018


Egídio ostenta a maior assiduidade na esquerda em temporadas de
pontos corridos; Diogo Barbosa foi o mais usado do elenco em 2017

Vinícius Dias

Do multicampeão Leandro ao ídolo Sorín, passando por Diogo Barbosa, titular no penta da Copa do Brasil, nenhum lateral-esquerdo foi tão hegemônico com a camisa do Cruzeiro na era dos pontos corridos quanto Egídio. Se o agora reforço palmeirense foi o nome mais repetido - 60 vezes - nas escalações de Mano Menezes em 2017, batendo o recorde de jogos disputados em uma única temporada, seu substituto volta à Toca II com um trunfo importante: a maior assiduidade no setor em 15 anos.

Egídio volta ao Cruzeiro neste ano
(Créditos: Bruno Haddad/Cruzeiro)

Titular absoluto durante o bicampeonato brasileiro, Egídio atuou 106 vezes entre 2013 e 2014. Na temporada de estreia, o carioca, que havia sido contratado junto ao Goiás, esteve em campo em 53 dos 63 compromissos da equipe comandada por Marcelo Oliveira: participação em 84,1% das partidas, recorde entre laterais-esquerdos na era dos pontos corridos. A título de comparação, Diogo Barbosa disputou 60 dos 75 duelos celestes no último ano, o que representa presença em 80%.

Diogo Barbosa foi destaque em 2017
(Créditos: Washington Alves/Light Press)

No retorno após passagens por Dnipro, da Ucrânica, e Palmeiras, Egídio assinou contrato com a Raposa por duas temporadas e, a princípio, aparece como favorito na disputa com Marcelo Hermes, emprestado pelo Benfica, e Victor Luiz, recém-promovido do time sub-20.  "Estou muito feliz por voltar à Toca, onde fui mais feliz em meus 12 anos de carreira. A satisfação é enorme. Tenho certeza que vou voltar a fazer história aqui no Cruzeiro", exaltou durante a apresentação, na última sexta-feira.

Lateral-esquerdo mais acionado - ano a ano:

2003 - Leandro - 56 partidas / participação em 76,7%
2004 - Leandro - 57 partidas / participação em 75%
2005 - Athirson - 27 partidas / participação em 38,6%
2006 - Júlio Cesar - 35 partidas / participação em 56,5%
2007 - Fernandinho - 27 partidas / participação em 44,3%
2008 - Jadílson - 37 partidas / participação em 54,4%
2009 - Diego Renan - 31 partidas / participação em 43,1%
2010 - Diego Renan - 53 partidas / participação em 76,8%
2011 - Diego Renan - 32 partidas / participação em 51,6%
2012 - Everton - 45 partidas / participação em 77,6%
2013 - Egídio - 53 partidas / participação em 84,1%
2014 - Egídio - 53 partidas / participação em 69,7%
2015 - Mena - 26 partidas / participação em 39,4%
2016 - Edimar - 27 partidas / participação em 40,9%
2017 - Diogo Barbosa - 60 partidas / participação em 80%

Nenhum comentário:

Postar um comentário