03/03/2018

Rossi, ex-Chape, é alvo de Atlético e Cruzeiro

Vinícius Dias

Destaque da Chapecoense na Copa Libertadores de 2017, o atacante Rossi deve retornar ao futebol brasileiro em breve. Atualmente no Shenzen, da China, o paraense está fora dos planos do treinador português Jorge Paixão após a contratação do camaronês Franck Ohandza, que ocupará a última vaga para estrangeiros, e negocia a rescisão com o clube. Com Atlético e Cruzeiro entre os interessados, a expectativa é de que o martelo seja batido em reunião na próxima semana, no país asiático.


"Tanto Cruzeiro quanto Atlético querem o Rossi desde o tempo da Chapecoense. Voltaram no fim do ano e agora também sondaram", revela o agente Jurandir Martins ao Blog Toque Di Letra, relembrando os primeiros contatos com o alvinegro, antes da transferência para a China, onde o atacante tem vínculo até o fim de 2020. "No dia da venda, em julho, eu estava na Grécia com outro atleta. Daniel Nepomuceno me ligou. Eu falei: 'presidente, ele está acabando de embarcar'".

Rossi, de 24 anos, deve voltar ao país
(Créditos: Sirli Freitas/Flickr/Chapecoense)

Inicialmente, o Shenzen propôs a rescisão sem custos. Com um emissário no país, o staff pede o pagamento do restante do contrato. Diante disso, o clube já sinaliza a possibilidade de emprestá-lo, reintegrando em 2019. "Teremos a definição, no máximo, na quarta-feira", garante Martins. Em caso de volta ao Brasil, os mineiros terão concorrentes de peso. "Renato Gaúcho, do Grêmio, me ligou, o Jair Ventura, do Santos. Clubes como Internacional, Botafogo, Corinthians, São Paulo, também", acrescenta.

Bom início e suspensão na China

Disposto a abrir negociações apenas depois de confirmada a rescisão, o agente exalta Atlético e Cruzeiro, que, em caso de registro até o dia 16, ainda poderiam utilizá-lo no estadual. "A gente faz muito gosto, sabe a força. No Atlético, por exemplo, tem o Luanzinho, um jogador com a característica, que trabalhou comigo na Ponte Preta", comenta o ex-gerente de futebol. Na China, Rossi começou bem, mas, em meio a uma suspensão de quatro meses, fez apenas oito jogos, com dois gols e três assistências.

Um comentário:

  1. O Brasil inteiro quer o Rossi, bom esse empresário.

    ResponderExcluir