01/03/2018

Era Wagner: Cruzeiro atualiza organograma

Vinícius Dias

A vitória de Wagner Pires de Sá nas eleições presidenciais para o triênio 2018/2020 significou não apenas a troca de comando em diversos setores, mas também a redefinição da estrutura administrativa do Cruzeiro. Com a transição de cargos praticamente concluída, o clube já deu início à atualização do regulamento geral, que incluirá o novo organograma. Coordenado pelo conselheiro nato e novo secretário-geral celeste, Fernando Torquetti Júnior, o processo deve ser finalizado em até um ano.


Na comparação com a gestão Gilvan de Pinho Tavares, o Cruzeiro passa a ter mais três vice-presidências. As diretorias jurídica - Fabiano Oliveira Costa - e financeira - Divino Oliveira - ganharam o status. Marco Antônio Lage assumiu a recém-criada vice-presidência executiva, responsável pela comunicação institucional. Foram mantidas a de futebol, com Itair Machado substituindo Bruno Vicintin, e a administrativa, ocupada por Hermínio Lemos, também 1º vice-presidente eleito e ex-secretário-geral.

Torquetti ao lado do presidente Wagner
(Créditos: Arquivo Pessoal/Fernando Torquetti)

A princípio, duas antigas diretorias ficarão fora do organograma. As funções que até o ano passado cabiam à de compras estão a cargo do vice administrativo. Já a secretaria-geral tem acumulado, de forma interina, as atribuições de patrimônio e obras. Conforme antecipado pelo Blog Toque Di Letra, também houve mudanças na área internacional. Renê Salviano assumiu a diretoria, agora ligada à vice-presidência executiva com a nomenclatura de negócios internacionais e novos negócios.

Trajetória do novo secretário-geral

Associado há 55 anos, Torquetti teve passagem pelas categorias de base do Cruzeiro e integrou equipes de vôlei e peteca. Na política, concorreu à presidência do clube em 2005 e chegou a registrar chapa para a presidência do Conselho no ano passado, mas se retirou da disputa após a aliança entre Wagner Pires e Zezé Perrella, eleito como candidato único. "A segunda candidatura foi com o objetivo de manter o acordo para manter os conselheiros. Mas não de oposição ao Wagner", justifica.

Um comentário:

  1. Diretoria entrou com o pé direito,nosso Cruzeiro merece dirigentes audaciosos,só assim a fanática China Azul sossega.

    ResponderExcluir