03/03/2018

É hora de o favorito Cruzeiro reagir ao susto

Douglas Zimmer*

Salve, China Azul!

Estamos às vésperas do segundo jogo mais importante deste início de temporada até aqui. Espero que o Cruzeiro tenha aprendido as lições deixadas pela derrota naquele que todos sabíamos que seria o maior desafio para o time no começo dessa nova caminhada. Com uma proposta de jogo diferente, com mais atitude, mais amplitude e menos medo de perder, a equipe celeste precisa estar atenta aos detalhes.


Apesar de o placar final ter sido consideravelmente elástico, a realidade do jogo não foi por ele representada. Um duelo tão aberto e tão franco que poderia muito bem ter acabado em 4 a 2 a nosso favor. O que pesou, no fim, foram as falhas nos detalhes. Tanto ofensiva quanto defensivamente, os comandados de Mano Menezes cometeram erros que, tendo em vista a qualidade e a disposição anímica e tática do adversário, foram cruciais para o revés. É claro que o jogo de terça-feira é coisa do passado, mas aquela é uma noite para ser lembrada por muito tempo.

Volta de Thiago Neves é um dos trunfos
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

É preciso tirar aprendizados dela. Fazer com que o grupo como um todo evolua e se conscientize com relação ao foco, especialmente nas bolas paradas, sem deixar de lado tudo o que já construiu nos demais pontos. Neste domingo, no clássico contra o Atlético, a pressão por um resultado pode até ser menor do que era na terça passada. Entretanto, a necessidade de mostrar que o ocorrido foi um caso isolado e que a equipe e as individualidades tiveram uma noite infeliz é latente.

Expectativa de grande clássico

A Raposa tem se comportado muito bem até aqui e demonstrou um padrão em suas apresentações que, confesso, me surpreendeu. Com exceção de alguns raros momentos de pouca inspiração, o que temos visto é um time que sabe o que precisa fazer para chegar ao triunfo e que não tem medido esforços para tanto. Do outro lado, estará um time que jogará diante de sua torcida e que está, acredito, na sua melhor fase desde o começo do ano. Tudo isso, aliado à rivalidade que dispensa maiores apresentações, me dão a certeza de que teremos um grande jogo.

Raposa perdeu para o Racing na terça
(Créditos: Bruno Haddad/Cruzeiro)

Será mais uma bela prova para o elenco, para a proposta de jogo, para a comissão técnica e para o torcedor. Mesmo sendo 'apenas' um jogo de fase classificatória do campeonato estadual, teremos a oportunidade de ver como a equipe reagirá ao susto tomado em terras argentinas.

Força, Cruzeiro!

*Gaúcho, apaixonado pelo Cruzeiro desde junho de 1986.
@pqnofx, dono da camisa 10 da seção Fala, Cruzeirense!

2 comentários:

  1. Olá Zimmer,
    Vamos ver se os tais Henrique-pé-mole e o Rafinha-pé-torto se entregam para o jogo ou entregam o jogo!!!!!!! Com esses dois ái, jogaremos com 9 mais uma vez !!!

    ResponderExcluir
  2. Olha Villio Zampronna, eu até desculpo o Rafinha porque ele é esforçado, corre, luta, ajuda na marcação no meio de campo
    mas o henrique e o cabral, na minha opinião, nem deveriam fazer parte do plantel do Cruzeiro,são dois chupa-sangues,
    não marcam ninguém, não disputam bolas, não ajudam nas coberturas, enfim são dois inúteis.
    E ainda tem mais, a dupla de zaga que jogou (Manuel e Murilo) também não tá com nada. São lentos, corpulentos, sem agilidade, sem recuperação. Um deles, o Manuel, já deu o que tinha que dar aqui, o outro,o Murilo, me parece, não vai emplacar. Sem o Fred, o melhor seria o Raniel, mas o técnico paneleiro prefere, segundo ele, por coerência, continuar mantendo henrique, cabral, Murilo, Robinho, Sobis e lá vamos nós descendo a ladeira ...

    ResponderExcluir